Amanda Lyra
Terça, 16 de janeiro de 2018, 14:43 h - Atualizado em 16/01, 15:28 h

Elian Woidello lança "Deleuze e a Televisão"

Confira a música que traz Manuela Tecchio nos vocais ao lado de Woidello

Amanda Lyra:Cultura
Autor: Amanda Lyra
O conteúdo desta matéria é de total responsabilidade do autor.
Foto: Luiza Kons

O cantor e compositor curitibano Elian Woidello, publicou na última semana em sua página do Facebook e do Youtube sua nova canção “Deleuze e a Televisão”, a canção faz parte do “Manifesto da Terra do Quase”, novo trabalho do artista inspirado em uma profunda reflexão sobre a música curitibana e do sul do mundo.

De maneira totalmente transgressora, e acordes inventados, o novo trabalho de Elian carrega um novo pensamento sobre harmonia, poesia, ritmo, melodia e até mesmo mixagem. As gravações foram feitas durante quase todo o mês de dezembro e conta com David Bastos na bateria, Manuela Tecchio nos vocais ao lado de Woidello que além da voz, fez todos os outros instrumentos.

Elian disse que queria causar uma sensação de resignação com a canção, por isso a escolha do filosofo estruturalista francês Gilles Deleuze como vértice da poesia, as citações a Oswaldo Montenegro, Caetano Veloso, Fito Paez também fazem parte da intencionalidade poética da canção, que segundo Woidello é a possibilidade de rompimento para se criar algo novo.

Além da canção Deleuze e a Televisão, Elian Woidello lançará ainda em janeiro o Manifesto da Terra do Quase, e um show homônimo no Paço da Liberdade no proximo dia 26 de janeiro.

Woidello além de cantor e compositor, é atualmente um dos grandes pensadores da música curitibana, e um dos artistas com mais vastas influências dentro da cena musical.

Confira "Deleuze e a Televisão":

Ficha Técnica da Canção

Deleuze e a Televisão (Elian Woidello)

Elian Woidello: Voz 01, Piano, CP80, Órgão, Cravo, Violão, Cordas.

Manuela Tecchio: Voz02

David Bastos: Bateria, Mixagem

Gravação DB Áudio.

 

Mais sobre Elian Woidello 

Cantor e compositor, é um dos membros do chamado Movimento Autoral Curitibano, que inclui Tatára, Rodrigo Augusto Ribeiro,Amanda Lyra, Tacy de Campos, Mauro Barbosa, e outros, Elian foi um dos primeiros cantores de MPB de Curitiba a ter suas ideias divulgadas internacionalmente.  

Elian aprendeu tocar piano sozinho e desde cedo se interessava por artes e ciências humanas, fazia pesquisas e fomentação de movimentos artísticos com apenas 13 anos de idade, começou a trabalhar como professor de música e língua espanhola. Autodidata, desenvolveu metodologias para aprender línguas e aprendeu alguns instrumentos musicais sozinho.

Músico e compositor de renome no Mercosul e no exterior, Woidello produziu um trabalho de pesquisa das identidades urbanas e a influência nas mídias sonoras sobre elas. No trabalho, analisou o meio urbano curitibano valendo-se da esfera radiofônica e o conceito de paisagens sonoras urbanas, como consequência desse trabalho produziu o primeiro podcast do sul do Brasil sobre essa temática, e também foi produtor do documentário radiofônico “Além da Borboleta 13”.

É também dramaturgo, produtor cinematográfico e produtor cultural. Desenvolve palestras no qual se vale do conhecimento em música, jornalismo e semiótica para aplicação de uma reflexão profunda entre os meios vividos. Produtor do curta “Ponta da Pita” em 2011”, já escreveu trilhas para o projeto Geração Futura da Fundação Roberto Marinho, no inter-programa “Pinhão o Retorno” de Duran Sodré e Mayara Locatelli. Tem experiência na área de Comunicação, colaborou na fundação do jornal A Cena em Curitiba, jornal de âmbito cultural.

Após a gravação do álbum “Eu Mando Noticias” lançado com Vinicius Manhães em 2015, zarpou para Buenos Aires onde mergulhou de cabeça na música contemporânea de lá com sujeitos como Hilda Lizarasu, Fito Paez e Charly Garcia. Elian começou a notar similaridades nos hábitos e costumes de lá com o seu lugar de origem, foi quando começou a compor temas que visitassem a uma estética que mesclasse gêneros do cinema, artes plásticas e música com uma referência direta aos cinemas policiais da década de 1950 nos E.U.A. estava criado o embrião temático do “Manifesto da Terra do Quase”.

O piano se torna parceiro indispensável de Woidello que está à frente de uma banda formada por guitarra, baixo, bateria e teclados, as canções quase a totalidade colocam o rock emparelhado com a MPB e a música tradicional.

 

Serviço:

Facebook - @Woidello

Instagram - @elwoidello

https://m.soundcloud.com/woidello
https://www.numberonemusic.com/elianwoidello

Assessoria de Imprensa VRCom Comunicação



Seja o primeiro a comentar sobre esta notícia:



Colunista do dia
Cel Costa Filho

Cel Costa Filho

Segurança em Debate


Vale a Pena Ler de Novo

Vale a Pena Ler de Novo

Vale a Pena Ler de Novo




Mais lidas
Câncer de Pâncreas é na maioria das vezes é diagnosticada de forma tardia

Câncer de Pâncreas é na maioria das vezes é diagnosticada de forma tardia

Por isso apenas 15 a 20% dos pacientes são candidatos à cirurgia com potencial de cura.


Vida de CHICO XAVIER em superprodução musical  “Um Cisco” estreia no Guairão

Vida de CHICO XAVIER em superprodução musical “Um Cisco” estreia no Guairão

A trama se desenvolve numa estação de trem, onde a vida do médium é narrada desde os seus 4 anos de idade até a sua morte, aos 92 anos.


Banda Nenhum de Nós traz rock a Curitiba em pocket show gratuito

Banda Nenhum de Nós traz rock a Curitiba em pocket show gratuito

Apresentação do grupo, que tem mais de 30 anos de carreira, acontece no dia 17 de outubro, no Shopping Curitiba


3 livros que você precisa ler

3 livros que você precisa ler

Destaque da Semana


Pinhais recebe projeto de cinema gratuito  ‘Cinemóvel Carrefour’

Pinhais recebe projeto de cinema gratuito ‘Cinemóvel Carrefour’

O ‘Cinemóvel Carrefour’ exibirá, gratuitamente, filmes com a temática da alimentação para alunos de escolas municipais


Uma nova onda, muito seca!

Uma nova onda, muito seca!

Por Jorge Marcondes



Mais notícias deste colunista


Veja também outros colunistas



Voltar ao topo©Squarebits Software 2016. (Heroku)