Amanda Lyra
Quinta, 14 de abril de 2016, 00:00 h - Atualizado em 14/04, 10:27 h

O canto do Miniconto

Conheça mais sobre o projeto na entrevista exclusiva:

Amanda Lyra:Cultura
Autor: Redação
Foto: Fauno Filmes

Logo de cara, a voz denuncia: é uma cantora brasileira, mas não apenas mais uma. A sonoridade termina de dar o recado: música do Brasil, só que, escorada em referências internacionais, acaba colocando-a num meio termo, meio termo este que reside entre um pub alternativo inglês, e o Teatro do Paiol.  Este é o Miniconto, duo curitibano formado por Karla Díbia e Daniel Amaral. Assim como o nome já anuncia, os artistas objetivam tirar da música, as mais variadas possibilidades, tudo escorado em minimalismo poético e sonoro.

O duo agora está captando recursos para a gravação do CD  B.Corpo e você pode ajudar colaborando aqui: http://www.kickante.com.br/campanhas/gravacao-de-cd-miniconto-b-corpo

Confira agora uma entrevista exclusiva :

 

VRNews: Atualmente, não é tão comum ver duos na música popular brasileira. Por qual motivo vocês criaram esse?

Para facilitar. Nós éramos três amigos de faculdade que queriam tocar, entretanto, o nosso amigo baixista precisou sair, portanto, ficamos em dois. Apesar de estarmos iniciando, queríamos fazer o melhor que estivesse ao nosso alcance. Não tínhamos muito dinheiro para gravações com banda, apenas em dois favoreceu bastante a questão do custo. Além do que, nós tínhamos um dos melhores baixistas que eu já ouvi, então quando ele saiu achamos sem nexo acrescentar mais pessoas. Apenas com violão e voz, tudo se torna econômico, inclusive o tempo, e a única coisa que não se torna econômica são as possibilidades de criação de canção, por isso o trabalho está firme até hoje.

VRNews: Karla, quais músicos te inspiram?

Vários. Mas tenho tendências a ouvir os cancioneiros: adoro Cartola e Chico Buarque. Sou hipnotizada por Led Zeppelin. No instrumental, entro em delírio ouvindo Chopin e Debussy. Mas acredito que aqueles com quem pude trabalhar foram os que mais me inspiraram.

 

 

Foto: Fauno Filmes

VRNews: Daniel, quais cantoras fazem a sua cabeça?

Das brasileiras, Karla Díbia, Dona Onete, Elis Regina, Carmem Miranda, Inezita Barroso, Cida Airam, dentre outras que não vou lembrar o nome agora. Estrangeira só a Nico.

 

VRNews: O clipe de Canto é escuro, até meio dark. Por qual motivo escolheram essa estética?

Uma coisa puxou a outra. A letra e o sentido que demos a ela puxou o arranjo, que resultou no clipe. Somos a favor apenas do necessário, e se colocássemos mais elementos, fugiria do nosso gosto.

 

VRNews: Como decidiram por Canto como novo single? Como foi isso?

Eu procurava por uma canção que me aproximasse da ginástica rítmica. Quando compus Canto, identifiquei que a letra refletia uma possível ligação. Então decidimos por ela.

 

VRNewsNas fotos, vemos claramente que a Karla se divide entre a música e a ginástica rítmica. Se tivesse que escolher apenas por uma delas, qual seria? Qual motivo? Como se relaciona com essas formas de expressão artística?


Eu fiz a minha escolha. Escolhi a música porque eu desenvolvi a expressividade criativa com ela. Na ginástica, apesar de minha paixão, sempre tive mais dificuldade com outros pontos. Entretanto, eu vim da ginástica e nela me criei, criei meu gosto por ritmo, movimento, música. Sem a ginástica eu não seria musicista. Eu sou ginasta e cantora por natureza e mesmo longe de uma dessas áreas, continuarei sendo. O clipe representa uma visita ao meu passado, mostrando como ele se faz presente.

 

VRNews: O que acham da atual crítica especializada em cultura? Qual o papel da mídia no trabalho dos artistas?

Acreditamos que fazem um ótimo trabalho. A mídia é fundamental para o artista: é o convite para aquele que não conhece, conhecer, principalmente se ele tem o costume de ler, tem confiança no crítico que escreve, e afinal, estamos num momento em que tudo ficou mais fácil de se ter acesso. Isso favorece tanto a nós artistas, quanto os críticos. Também acreditamos que quanto mais o crítico adentrar na área cultural escolhida, fazendo cursos ou faculdades (como me lembro de uma professora bacharel em Jornalismo e em Dança, pois seu desejo era escrever sobre dança), mais terá credibilidade tanto para nós, atuantes da área, quanto pelo público leigo.

Foto: Fauno Filmes

VRNews: O que acham da atual crítica especializada em cultura? Qual o papel da mídia no trabalho dos artistas?

Acreditamos que fazem um ótimo trabalho. A mídia é fundamental para o artista: é o convite para aquele que não conhece, conhecer, principalmente se ele tem o costume de ler, tem confiança no crítico que escreve, e afinal, estamos num momento em que tudo ficou mais fácil de se ter acesso. Isso favorece tanto a nós artistas, quanto os críticos. Também acreditamos que quanto mais o crítico adentrar na área cultural escolhida, fazendo cursos ou faculdades (como me lembro de uma professora bacharel em Jornalismo e em Dança, pois seu desejo era escrever sobre dança), mais terá credibilidade tanto para nós, atuantes da área, quanto pelo público leigo.



Seja o primeiro a comentar sobre esta notícia:



Colunista do dia
Cel Costa Filho

Cel Costa Filho

Segurança em Debate


Juliana Saraiva

Juliana Saraiva

Coluna Juliana Saraiva




Mais lidas
Golpe com celular

Golpe com celular

Os marginais não param de ser criativos.


Clube Mulheres de Sucesso Araucária: Ananda Suelem Scorteganha

Cultura no Teatro SESI: alunos da Casa Verde se apresentarão na próxima quarta-feira (19)

Cultura no Teatro SESI: alunos da Casa Verde se apresentarão na próxima quarta-feira (19)

A Secretaria de Cultura de São José dos Pinhais, em parceria com o SESI, disponibiliza toda quarta-feira o Teatro para apresentações dos artistas da cidade (Foto: Divulgação/Dreams grupo de dança)


Ana Carolina comemora 20 anos de carreira com turnê “fogueira em alto mar" em Curitiba

Ana Carolina comemora 20 anos de carreira com turnê “fogueira em alto mar" em Curitiba

Show traz surpresas e conta com músicas de seu novo álbum homônimo, além dos grandes sucessos de sua carreira.


Festa Junina no quintal do James

Festa Junina no quintal do James

O evento acontece no dia 22 e 29 de junho com várias atrações


1ª Curitiba Santé Week

1ª Curitiba Santé Week

A capital paranaense vai sediar festival dedicado ao consumo sustentável a partir do próximo dia 30 de junho



Mais notícias deste colunista


Veja também outros colunistas



Voltar ao topo©Squarebits Software 2016. (Heroku)