Amanda Lyra
Quinta, 02 de março de 2017, 15:40 h - Atualizado em 02/03, 17:34 h

Tacy de Campos

Confira uma entrevista com a cantora, compositora que foi intérprete de Cássia Eller, o musical.

Amanda Lyra:Cultura
Autor: Redação
Foto: Divulgação.

Ela é dona de um timbre incrível, um carisma absurdo e uma presença de palco de tirar o fôlego. Tacy de Campos mostrou pro Brasil inteiro seu talento interpretando a icônica Cassia Eller em um musical que fez muita gente se emocionar  com a semelhança nos trejeitos além, é claro, da voz. Mas fora do personagem do musical, Tacy tem sua personalidade singular, um jeito tranquilo e um abraço capaz de derreter o coração mais duro, ela chega quietinha e conquista seu espaço. Como fã que sou, é difícil escrever sem querer elogiar aos montes, então convido-os a conhecerem um pouco mais dessa artista ímpar, com uma entrevista exclusiva:

 

VRNews: Como foi seu primeiro contato com a música?

Sempre gostei, desde de criança. Pedia de presente guitarrinhas, violões e tecladinhos de brinquedos. Qualquer caneta, colher de pau ou controle remoto virava microfone na minha mão rs. Minha tia tinha um violão velho e eu ficava horas nele tocando sem saber tocar. Ai, com 15 anos, meu pai me deu meu primeiro violão. Foi meu primeiro amor. Não largava por nada.

 

VRNews: Pra você qual a parte mais legal de ser músico?

 Cara, ser musico é ser instrumento da Arte, da força avassaladora que é a Música. Acho que tudo é legal. Inclusive a parte de se encontrar no Tatára as segundas feiras pra tocar, tomar cerveja e confraternizar com os amigos.

 

Foto: Divulgação.

VRNews: Quais projetos você participa no momento?

Atualmente estou trabalhando no lançamento do primeiro álbum solo e da vida, O Manifesto da Canção. Gravei no segundo semestre de 2016 e estava esperando um bom momento pra lançar. Deve sair agora no fim de março ou em Abril. E até o meio do ano, sai o clipe do single que lancei em novembro do ano passado, Sem Ser.

Fora o lance solo, formei um duo chamado DuoPlex... (se fala dupléx mesmo), com um amigão aqui do RJ, o bluseiro Wagner José. Ambos somos compositores e cantores e levamos nossa música autoral, num formato simples - dois violões, uma gaita de boca e percussão - para as ruas, espaços públicos, bibliotecas, casas e bares alternativos de música aqui do Rio.

Também estou participando de um projeto chamado Música Para Sempre, que chama compositores para escrever músicas para pessoas com Alzheimer, pois segundo estudos, a memória musical nessas pessoas não se perde com a doença. Achei genial e estou muito feliz participando. Em breve, vocês verão o vídeo na internet.

 

Foto: Divulgação.

VRNews: Como foi pra você a primeira apresentação de Cassia Eller -  O Musical?

As primeiras, de forma geral, foram bem tensas. Eu não sou atriz e ficava muito insegura, mesmo com toda a estrutura que me deram e com os meus colegas de cena dando suporte. Depois, aprendi a me divertir atuando e relaxei. Hoje, é bem tranquilo.

 

VRNews: Qual estilo você mais curte compor?

Bem, o estilo que viajo mais é o rock'n'roll mesmo. Compondo hoje, venho me abrindo para novas vertentes, inclusive dentro do rock. Ultimamente ouço muito progressivo: Jehtro Tull, Yes, Émerson Lake and Palmer, Mutantes e essas bandas vem abrindo a minha cabeça, influenciando a minha sonoridade mesmo. Por outro lado, tenho ouvido muita coisa da pesada, rock'n'roll mesmo, que tem me pirado como a Hellacopters (da Suécia), Cascadura,( da Bahia), Thin Lizzy,  Foo Fithers, Free, Nação Zumbi, Primus, Rush, Led Zepplin, The Who, o lado B do Black Sabbath. Aí saio misturando tudo. Tenho meu lado easy tambem, bem voltado pro country, folk e blues. Já fiz algumas musicas inspiradas no estilo do Bob Dylan, do Allman Brothers, The Band, Joni Mitchell, Jonny Winter, Paul Simon, Eric Clapton e por aí vai...

 

Foto: Divulgação.

VRNews: O que você lembra da primeira vez que tocou uma música inteira?

Cara, foi uma emoção haha! Mas não lembro qual a primeira mesmo. Na verdade, quando tive a primeira aula, meu professor me deu uma sequencia harmônica e falou: "vai pra casa e estuda isso". Voltei na semana seguinte com uma musica feita com aquela sequencia harmônica. Virou meu método de estudo. Mas a primeira vitória mesmo, inesquecível, foi minha primeira audição instrumental, depois de um ano estudando, toquei a base de Oceano, do Djavn, com meu professor improvisando em cima. Nunca esqueci.

 

VRNews: De lá pra cá, qual a diferença?

Ah, muita! Passei um bom tempo estudando por conta em casa, sem professor. Depois, me liguei que era importante estudar e entrei no CMPB, inclusive porque tinha cansado de tocar sozinha e queria interagir. Tive muitos professores, ainda tenho. Aqui no Rio resolvi encabeçar na teoria musical, pra não ficar pra trás. Passo a semana peregrinando entre duas escolas, a Villa Lobos e o Cigam. E em quase 2 anos só, já deu muita diferença.

 

VRNews: O instrumento do seu sonho?

Ah, acho que continua sendo o violão. Por muito tempo foi o baixo, depois o teclado, agora a guitarra. Mas eu me sinto em casa com um bojudinho de 6 cordas nos braços hehe!

 

Foto: Divulgação.

VRNews: Aqueles ídolos que te impressionam sem esforço?

Amy Whinehouse, Nina Simone, Janis Joplin, Jimi Hendrix, Ellen McLaine, Fábio Cascadura, Sivuca, Michael Jakcson, David Bowie, Prince...

 

77VRNews: Quais são os projetos para esse ano?

Lançar o disco e o clip da minha música de trabalho “Sem Ser” e fazer shows ao longo do ano em tudo que é lugar, no Brasil todo, se possível. Continuar tocando os projetos que venho trabalhando, fazer mais parcerias nas composições. Enfim, do meio do ano pra frente minhas ideias são bem  abstratas e prefiro deixá-las assim e ver o que vai dar até lá.

 

VRNews: O que você diria para o seu “eu” do passado?

Eu me observaria e, em algumas situações, daria um 'pedala' nas orelhas, tipo: "acorda! vái véi!"

 

Esta colunista com Tacy
Esta colunista com Tacy - Foto: Divulgação.

Papo Reto:

•         Obra prima: toda a literatura Machadiana

•         Uma paixão:  Cascadura

•         O melhor show: do Korn no palco sunset do Rock in Rio 2016

•         Queria fazer um som com: a Pitty e o Cascadura, juntos

•         Um esporte: ciclismo e futebol

•         Aquele cover que você ama cantar: "Tell Him" da Patti Drew

•         Férias perfeitas: em Santiago do Chile, em 2015

•         Lugar perfeito para compor: no meu quarto ou perto de uma janela qualquer

•         Tacy de Campos por Tacy de Campos: alguém que é algo, sem ser...



Seja o primeiro a comentar sobre esta notícia:



Colunista do dia
Mulheres de Sucesso

Mulheres de Sucesso

Mulheres de Sucesso


Vera Rosa

Vera Rosa

Coluna Vera Rosa




Mais lidas
Inscrições para o PUC Night Run estão abertas

Inscrições para o PUC Night Run estão abertas

Evento faz parte das comemorações aos 60 anos da PUCPR


 Clube Mulheres de Sucesso Araucária: Arlete Sofia Chincoviaki

Lolla lança label para transmissão dos jogos da Seleção Brasileira

Lolla lança label para transmissão dos jogos da Seleção Brasileira

Considerado um dos grandes fenômenos da noite curitibana, o bar preparou atrações especiais para os curitibanos assistirem aos jogos da Copas América


Desenho realista tem curso no Solar do Rosário

Desenho realista tem curso no Solar do Rosário

Técnicas para desenvolver ilustrações que parecem fotografias são ensinadas no Ateliê Permanente de Desenho Realista com Grafite no Solar do Rosário.


Clube Mulheres de Sucesso Araucária: Graciele Galize Figuel

Museu Atílio Rocco SJP recebe a exposição “BABUSHKIM”

Museu Atílio Rocco SJP recebe a exposição “BABUSHKIM”

A Secretaria de Cultura de São José dos Pinhais promove a partir desta sexta-feira (14) a exposição “BABUSHKIM”, do artista plástico Eloir Jr., no Museu Municipal Atílio Rocco, com entrada gratuita.



Mais notícias deste colunista


Veja também outros colunistas



Voltar ao topo©Squarebits Software 2016. (Heroku)