Cel Costa Filho
Terça, 19 de março de 2019, 00:00 h - Atualizado em 19/03, 00:00 h

Atentado na Escola

Terror na escola

Cel Costa Filho:Suzano
Autor: Redação
Foto: Divulgação.

Todos ficaram pasmos com a notícia do atentado em Suzano, pois esse tipo de crime não é comum em nosso país, mas se fizermos uma retrospectiva constataremos que a incidência aumentou nos últimos anos.

            Logo em seguida duas ameaças foram detectadas e os responsáveis identificados.

            Num dos casos um adolescente de 16 anos ao ser abordado; o que foi feito? Nada. Apenas vão intimar os pais e no final “dar um puxão de orelhas” no adolescente.

            Infelizmente esse tipo de “resposta” da justiça ao invés de dar uma resposta positiva a sociedade, acaba por estimular outros adolescentes.

            Se fosse num país do “primeiro mundo”, onde apesar de tudo que cultuamos, trata a todos de forma igual, e em muitos países, essa simples ameaça resultaria em uma punição severa, o que com certeza serviria para desestimular outros adolescentes e até mesmo os que já são maiores de idade.

            O ECA - Estatuto da Criança e do Adolescente, é na prática um estímulo ao descumprimento das leis.

            Os tempos mudaram, um adolescente de 16 anos de hoje não pode ser comparado a um adolescente de 20 anos atrás.

            Como em tudo na vida, casos diferentes devem ser tratados de forma diferente.

            Na minha opinião o ECA deve ser mantido, mas com ressalvas para determinados tipos de crimes que deveriam ser tipificados com punições mais severas, Ex.:  homicídio, feminicídio, latrocínio, estupro, roubo à mão armada, etc ....

            Não se pode dar a mesma pena para um delito de pequena gravidade igual a que se dá a um crime hediondo.

            Os falsos moralistas irão gritar e espernear, mas a justiça só é respeitada se a punição for “dura”.

            Nossos representantes legais devem ser cobrados para mudarmos esse estatuto. O aumento da criminalidade é um reflexo direto da impunidade com os adolescentes, que impunes, chegam a maioridade (18 anos) altamente especializados com muitos crimes cometidos, mas sem nenhum registro em sua ficha criminal, que fica zerada e os deixam livres para continuarem suas vidas de marginais.

            Pesemos e reflitamos.....

            Para sugestões enviem e-mail para coronelcosta181@gmail.com

 



Seja o primeiro a comentar sobre esta notícia:




Colunista do dia
Cel Costa Filho

Cel Costa Filho

Segurança em Debate


Juliana Saraiva

Juliana Saraiva

Coluna Juliana Saraiva



Mais Lidas
Atentado na Escola

Atentado na Escola

Terror na escola


Para inspirar: 7 salas de TV que são de tirar o fôlego

Para inspirar: 7 salas de TV que são de tirar o fôlego

Conforto e beleza são as palavras de ordem para quem deseja uma sessão digna de cinema em um dos cômodos mais queridinhos de casa


Aniversário de São José dos Pinhais: Bolo Solidário foi servido em frente a catedral

Aniversário de São José dos Pinhais: Bolo Solidário foi servido em frente a catedral

Comemoração do aniversario de São José dos Pinhais


12º CWBurguer Fest terá 28 participantes

12º CWBurguer Fest terá 28 participantes

O principal evento de hambúrgueres do Brasil contará com diversas opções do preparo e receitas inéditas para todos os gostos


Ônibus da Cultura terá apresentação especial para o Março Lilás

Ônibus da Cultura terá apresentação especial para o Março Lilás

A campanha do Março Lilás, de prevenção do câncer de útero, inspirou um espetáculo teatral que fará estreia no Ônibus da Cultura.


Companhia Os Satyros celebra 30 anos no Festival de Curitiba

Companhia Os Satyros celebra 30 anos no Festival de Curitiba

Trupe paulista retorna ao evento com “Cabaret TransPeripatético”, além das estreias nacionais de “Mississipi”, “Todos os Sonhos do Mundo” e “O Rei de Sodoma”




Mais notícias deste colunista


Veja também outros colunistas



Voltar ao topo©Squarebits Software 2016. (Heroku)