Cel Costa Filho
Terça, 24 de outubro de 2017, 09:30 h - Atualizado em 24/10, 09:31 h

Autorizado para matar

Segurança em primeiro lugar

Cel Costa Filho:São José dos Pinhais
Autor: Redação
Foto: Divulgação.

Mais uma vez acompanhamos os noticiários mostrando cenas de violência, onde um adolescente discutiu em uma festa de igreja, ficou nervoso, pegou o carro como se ele fosse uma arma o usou para descarregar sua raiva, mas ao virar uma curva se deparou com crianças brincando e atropelou, matou uma criança de oito anose fugiu sem prestar socorro.

            Esperou passar as 48 horas prevista na lei para se apresentar em uma delegacia e agora vai responder em liberdade enquanto os pais da criança choram seu a perda do filho.

            Da mesma forma vimos outra criança de 14 anos que sofria de bullying atar colegas de classe.

            A lei é para ser cumprida e isso não se discute, mas não posso deixar de expressar meu descontentamento com nossa legislação.

            Independente da lei dizer que se o autor não for preso em quarenta e oito horas após o crime, tem o direito de responder em liberdade, mas deveria sim uma análise do juiz avaliar se a conduta do autor faz necessário ou não que o mesmo tenha sua prisão decretada e ou que seja estipulada uma fiança para que possa ter o direito de responder em liberdade, mas não as fianças que hoje são estipuladas e que tem valores ridículos se comparados com os crimes cometidos.

            Com relação à criança que cometeu os crimes em Goiânia, não quero entrar no mérito do que o levou a cometer esses assassinatos, mas sim a legislação que para duas mortes e quatro feridos estipula uma pena de 45 dias, e pela legislação a pena máxima de 3 anos de reclusão.

            E da mesma forma vemos quase que diariamente pela televisão ou pelas redes sociais cenas de guerra onde a polícia apreende fuzis e que àqueles que os portavam tem penas decretadas pela justiça, isso depois de vários anos de duração dos processos que são “empurrados com a barriga” como se diz popularmente, e as panas são iguais para quem foi preso com um revólver.

            Isso é inaceitável, a lei deveria ser mais enérgica com os crimes mais graves e mais branda para com os crimes mais leves, mas infelizmente nossas leis foram feitas para punir o cidadão de bem e beneficiar os marginais.

 

            Mas nunca esqueçam que PREVENIR é sempre o melhor remédio.

            E caso tenham alguma dúvida ou sugestão para matéria, envie um e-mail para coronelcosta181@gmail.com

 



Seja o primeiro a comentar sobre esta notícia:



Colunista do dia
Mulheres de Sucesso

Mulheres de Sucesso

Mulheres de Sucesso


Vera Rosa

Vera Rosa

Coluna Vera Rosa




Mais lidas
Inscrições para o PUC Night Run estão abertas

Inscrições para o PUC Night Run estão abertas

Evento faz parte das comemorações aos 60 anos da PUCPR


 Clube Mulheres de Sucesso Araucária: Arlete Sofia Chincoviaki

Lolla lança label para transmissão dos jogos da Seleção Brasileira

Lolla lança label para transmissão dos jogos da Seleção Brasileira

Considerado um dos grandes fenômenos da noite curitibana, o bar preparou atrações especiais para os curitibanos assistirem aos jogos da Copas América


Desenho realista tem curso no Solar do Rosário

Desenho realista tem curso no Solar do Rosário

Técnicas para desenvolver ilustrações que parecem fotografias são ensinadas no Ateliê Permanente de Desenho Realista com Grafite no Solar do Rosário.


Clube Mulheres de Sucesso Araucária: Graciele Galize Figuel

Museu Atílio Rocco SJP recebe a exposição “BABUSHKIM”

Museu Atílio Rocco SJP recebe a exposição “BABUSHKIM”

A Secretaria de Cultura de São José dos Pinhais promove a partir desta sexta-feira (14) a exposição “BABUSHKIM”, do artista plástico Eloir Jr., no Museu Municipal Atílio Rocco, com entrada gratuita.



Mais notícias deste colunista


Veja também outros colunistas



Voltar ao topo©Squarebits Software 2016. (Heroku)