Jorge Marcondes
Sexta, 09 de agosto de 2019, 00:00 h - Atualizado em 09/08, 20:10 h

Uma delícia amarga e saudável!

Conheça a cerveja Underberg

Jorge Marcondes:Cervejas
Autor: Redação

Dia destes no meio de um papo sobre cervejas, um amigo me perguntou o que eu faria se estivesse em um evento sem cervejas artesanais para o meu paladar nada normal. Acabei falando de uma prática minha de algum tempo já.

 

 

Foto: Divulgação.

Então, lembrando-me disso esta semana resolvi falar um pouco sobre o assunto, para apresentar para quem porventura não conheça e reapresentar para aqueles que já conhecem pelo menos de nome, uma das minhas bebidas prediletas. Não é o meu preferido Jack Daniel’s, mas é o meu coringa salvador de muitas ocasiões por aí!

 

Quando estou em local que não tem cervejas que meu paladar se deleite, muitas vezes prefiro ficar na Coca-Cola ou então degustar um delicioso Bitter. E neste caso estou falando mais especificamente do Underberg, com todas suas propriedades.

 

Então, vamos passar pelas questões um pouco mais técnicas e históricas desta deliciosa bebida, que é uma das minhas prediletas, para um conhecimento um pouco mais adequado.

 

Desde a Antigüidade, bebidas amargas, feitas com ervas, raízes e folhas, são tidas como milagrosas. Para aqueles que me acompanham aqui por mais tempo, provavelmente agora se lembrarão dos textos sobre Gruit. É quase isso!

 

Bom, tudo começa com a lógica de que um extrato de ervas é também um extrato da natureza e simbolicamente traz consigo, toda sua força, assim como seus mistérios e seus poderes.

 

Muitas das antigas bebidas curativas eram amargas, pois é sabido que substâncias amargas estimulam os sucos gástricos que ajudam na digestão e ainda podem ajudar a abrir o apetite.

 

Portanto, estas poções eram fabricadas sob a forma altamente concentrada, sendo diluídas antes da ingestão, com destilados brancos como o gin, o genebra (ou zinebra, que é uma aguardente a base de zimbro), ou o aquavit (que surgiu na Dinamarca e é um destilado de batatas ou de cereais, que é redestilado com aromatizantes naturais, tais como: o cominho, o funcho, o coentro, o endro, o cravo e a canela), dentre outros.

 

Bom, já a palavra “bitter” quer dizer amargo, sendo que as bebidas desta categoria geralmente são produzidas à base de ervas e frutas maceradas em álcool neutro e que podem atingir de 20 a 45% de teor alcoólico.

 

Uma coisa que os bitters possuem em comum, são os aromas e sabores da genciana, do quinino, das laranjas amargas e do ruibarbo.

 

Estas bebidas vão desde ingredientes para coquetéis como a Angostura, o Péychaud e o Underberg, passam pelos aperitivos como o Campari e o Jagermeister, e chegam inclusive nas sobremesas. Outros exemplos e bitter, são: o Campari, o Carpano Punt e Mes, o Aperol, o Calisay, o Cynar, a Fernet Branca, o Unicum, o Amer Picon, o Hoppe Oranje.

 

A receita do Underberg é uma mistura de ervas aromática de 43 países distintos, sendo que atualmente a receita ainda é selecionada e misturada pessoalmente pela família Underberg.

 

A composição da bebida é extremamente pobre em histaminas, rica em antioxidantes e em vitamina B1. A base é um extrato, ao qual se adiciona álcool Kasher (44%) e água mineral fresca, sendo depois acondicionada em barris de carvalho esloveno para a fase de maturação, que leva meses.

 

Seu poder digestivo comprovado cientificamente, deve-se ao fato da bebida estimular os sucos gástricos e a atividade intestinal, sendo que a opção por garrafinhas de 20 ml, produzidas na Alemanha, seria a dose exata para o bem-estar. O conteúdo da garrafinha deve ser servido em um cálice com 24 cm de altura, criado especialmente para a bebida em 1867.

Foto: Divulgação

O Underberg se apresenta com uma cor que vai do âmbar e ao marrom, possui aroma muito intenso de ervas frescas e notas de anis e hortelã, dentre outras. O seu sabor, que evidentemente é amargo e intenso, acaba por ser amenizado devido à doçura proveniente do álcool, pois a bebida não leva açúcar.

 

A receita da Underberg é mantida em segredo há aproximadamente 170 anos, sendo que somente a família e pelo menos um padre católico conhecem a fórmula da bebida, e não existe nenhum registro escrito. Isso quer dizer que não mais do que seis pessoas conhecem o método de produção da bebida, chamado de "semper idem". Aqui no Brasil a receita da Brasilberg é guardada por um monge beneditino.

 

A Underberg é uma empresa familiar que está na 5ª geração e foi fundada em 1846, em Rheinberg, no extremo oeste da Alemanha.

 

Porém, a marca Underberg desembarcou efetivamente no Brasil em 1932 na Rua Conde de Bonfim, no Rio de Janeiro. Este "bitter" ou "amaro", como o chamam na Itália, é um digestivo feito à base de cascas de árvore, raízes, frutas e sementes, que facilita a digestão de uma comida pesada.

 

Inicialmente existia a importação do concentrado do Underberg, da Alemanha, para que fosse finalizado aqui no Brasil. Entretanto, com o advento da segunda guerra mundial as matérias-primas pararam de chegar na fábrica em Rheinberg e o fornecimento do concentrado da bebida para o Brasil foi interrompido.

 

Assim surgiu a versão tropical da receita, já em garrafas de 920 ml, usando matéria-prima do norte brasileiro. Na época, toda a publicidade era levada pelo "seu Tonico Underberg", personagem que repetia nas páginas das revistas o bordão "um cálice por dia, dá saúde e alegria".

 

Após a morte de Paul Underberg, neto do fundador da empresa, e que comandava a Undergerg Brasil, a família na Alemanha passou a exigir que a empresa brasileira mudasse o nome da bebida, fato que ocorreu em 2005, praticamente meio século depois. A versão brasileira foi rebatizada de Brasilberg e a original voltou a ser importada da Alemanha. A Brasilberg é vendida no Paraguai, Uruguai, no México e na Europa.

 

Em 1945 encerra-se a guerra e a produção na Alemanha foi retomada com uma versão monodose da bebida, em uma garrafinha de 20 ml, que sobrevive até os dias atuais. Esta foi a estratégia de retomada das vendas. No centro de engarrafamento em Berlim, engarrafam-se 1 milhão de garrafinhas de 20 ml por dia.

Foto: Divulgação

Também em 2005 a Underberg de Rheinberg, Alemanha, voltou a ser a única proprietária dos direitos da marca no Brasil, criando a subsidiária “Underberg do Brasil”.

 

Bom, tudo isso para dizer a vocês que apesar de parecer uma bebida popular que é vendida nos “botecos”, esta é uma bebida que possui pedigree e que possui diversas qualidades.

 

Lembrem-se que já comentei em textos anteriores que gosto do amargor e do álcool, portanto procuro bebidas com estas qualidades e também cervejas com estas qualidades.

 

Assim, esta é uma das opções da qual lanço mão quando vou a um estabelecimento que não tem cervejas como prefiro degustar.

 

Alguns drinks com Undergerg: Rio Negro e Água de valeta.

 

Espero ter ajudados alguns de vocês a descobrirem uma nova saída para uma situação! Rsrsrsrsrs

 

Cheers!!!

 



Seja o primeiro a comentar sobre esta notícia:




Colunista do dia
Cel Costa Filho

Cel Costa Filho

Segurança em Debate


Juliana Saraiva

Juliana Saraiva

Coluna Juliana Saraiva



Mais Lidas
Paula Lima chega a Curitiba com “Soul Lee”, projeto em que interpreta canções de Rita Lee

Viola Quebrada faz show no Centro Cultural Sistema FIEP

Viola Quebrada faz show no Centro Cultural Sistema FIEP

Um dos principais grupos caipiras do país se apresenta com entrada franca em ação do Sesi Cultura Paraná


Pinhais iniciou a Semana de Jogos de Ginástica

Pinhais iniciou a Semana de Jogos de Ginástica

O evento chega a sua 8ª edição e é realizado pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer (SEMEL)


Balé Teatro Guaíra apresenta Plataforma Novos Criadores

Balé Teatro Guaíra apresenta Plataforma Novos Criadores

Apresentação de dança contemporânea acontece no palco do Guairão nos dias 20 e 21 de agosto. A entrada é gratuita e a capacidade é de 100 pessoas por sessão


Mais de 3 mil pessoas participaram da 5° Edição da Caminhada Internacional na Natureza

Mais de 3 mil pessoas participaram da 5° Edição da Caminhada Internacional na Natureza

A 5° edição da Caminhada aconteceu no último domingo (18) e bateu o recorde de participantes comparado às anteriores.


Filme-Concerto comemora os 130 anos de Chaplin

Filme-Concerto comemora os 130 anos de Chaplin

Ação do Instituto de Apoio à Orquestra Sinfônica do Paraná (IAOSP) exibe “Tempos Modernos” com música ao vivo, no Teatro Positivo




Mais notícias deste colunista


Veja também outros colunistas



Voltar ao topo©Squarebits Software 2016. (Heroku)