Direito & Cidadania
Sexta, 15 de setembro de 2017, 00:00 h - Atualizado em 15/09, 00:00 h

ALIENAÇÃO PARENTAL

Destaque da Semana


Direito & Cidadania : Cidades


Foto: Divulgação.

Filhos são as nossas almas

Desabrochadas em flores;

Filhos, estrelas caídas

No mundo das nossas dores!

(Florbela Espanca – poetisa portuguesa)

 

 

            A Lei da Alienação Parental (Lei 12.318/2010) fez sete anos em agosto. O tema desperta enorme atenção por motivos óbvios e por isto mereceu novo trato por este colunista. A alienação acarreta prejuízos e traumas por vezes irreversíveis tanto para o genitor alienado quanto para a própria criança. De outra perspectiva por vezes o próprio agente da alienação precisa de atenção psicológica ou psiquiátrica.

            Segundo o art. 2º da Lei  “Considera-se ato de alienação parental a interferência na formação psicológica da criança ou do adolescente promovida ou induzida por um dos genitores, pelos avós ou pelos que tenham a criança ou adolescente sob a sua autoridade, guarda ou vigilância para que repudie genitor ou que cause prejuízo ao estabelecimento ou à manutenção de vínculos com este.” Rodrigo da Cunha Pereira, Presidente do IBDFAM, destaca que “Alienação parental é fazer da criança objeto de vingança contra o outro genitor”. Bem por isto o Conselho Nacional do Ministério Público expediu, no dia 05 de abril de 2016, a Recomendação 32, dispondo sobre a necessidade de os membros do Ministério Público atuarem de modo firme no combate à alienação parental.

            Como estabelece a própria Lei “a prática de alienação parental fere direito fundamental da criança ou do adolescente de convivência familiar saudável, prejudica a realização de afeto nas relações com genitor e com o grupo familiar, constitui abuso moral contra a criança ou o adolescente e descumprimento dos deveres inerentes à autoridade parental ou decorrentes de tutela ou guarda”. A criança ou o adolescente não podem ser objeto de joguete na disputa entre os pais. As penas da lei são sérias e vão desde a advertência ao alienador até a inversão da guarda e suspensão da autoridade parental. Homem e mulher separam-se, ainda mais nestes novos tempos em que as uniões ditas tradicionais estão cada vez mais transitórias. Eventuais filhos desta união sempre serão filhos de ambos. Merecem respeito e atenção de ambos os pais e familiares, jamais alienação.

 


Autor:

59ba7d603d116717e2044ace profile original

Fabiano Rosa

Advogado, Especialista e Mestre em Direito, sócio do “Da Rosa, Leprevost e Mayer Advogados”, sociedade de advogados – OAB/PR 2.111. fabiano@dlmadvogados.com.br. Colaborador do Portal VRNews




Envie o seu comentário


Seja o primeiro a comentar sobre esta notícia:



Colunista do dia
Coluna Conecte-se

Coluna Kids

Coluna Kids

Coluna Kids


Marcos Silva

Marcos Silva

Para ler, ver, ouvir e pensar




Mais lidas
Quedas na terceira idade podem ser mais do que acasos

Quedas na terceira idade podem ser mais do que acasos

Muito comum em idosos, a doença se torna clinicamente perceptível e suas consequências começam a incomodar no dia a dia


Câncer masculino: tratamento precoce faz toda a diferença

Câncer masculino: tratamento precoce faz toda a diferença

Medo, desconhecimento e o preconceito ainda afetam o cuidado com estas doenças


Ômega 3 pode ajudar a reduzir a TPM, mas é preciso ter critério

Ômega 3 pode ajudar a reduzir a TPM, mas é preciso ter critério

Estudos revelam que o consumo de cápsulas de óleo de peixe ajuda a aliviar os sintomas da síndrome. Especialistas orientam a preferir as cáp


Top de Marketing 2017: ADVB-PR anuncia finalistas e celebra recorde de inscritos

Top de Marketing 2017: ADVB-PR anuncia finalistas e celebra recorde de inscritos

Entidade analisou quase 50 cases este ano, com alto índice de qualidade


Festa do Morango 2017 em São José dos Pinhais

Festa do Morango 2017 em São José dos Pinhais

Tradicional festa acontece de 09 a 10 de dezembro


Exposição “Fragrâncias e Formas” encanta público

Exposição “Fragrâncias e Formas” encanta público

A exposição estará aberta até janeiro de 2017



Mais notícias deste colunista


Voltar ao topo©Squarebits Software 2016.