Direito & Cidadania
Quinta, 13 de julho de 2017, 00:00 h - Atualizado em 13/07, 00:00 h

Multiparentalidade: amor em dobro

Por Ana Paula Savaris Mayer

Direito & Cidadania :Empresarial
Autor: Redação
Foto: Divulgação.

Reza o artigo 227 da Constituição Federal que é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão. 

A partir deste artigo muitas inovações conceituais no Direito das Famílias vêm surgindo a cada dia de modo que não podemos nos permitir limitar-se a conceituar família como uma entidade engessada a modelos conservadores, mas fazer respeitar as inúmeras formas de famílias que surgem em conformidade com as relações interpessoais, em consonância com as garantias fundamentais, visando sempre assegurar o melhor interesse da criança.

Dentre os inúmeros modelos de famílias, o reconhecimento da multiparentalidade que quer assim dizer: parentesco constituído por múltiplos pais de modo que o filho estabelece uma relação paternidade/maternidade com mais de um mais e/ou com uma mãe, especialmente, entre os casos mais comuns em que padrastos e madrastas que se tornam pais/mães pelo exercício das funções paternas e maternas ou em substituição a eles, ainda em caso de reproduções medicamente assistidas quando contam com a participação de duas ou mais pessoa no processo reprodutivo.

Tal necessidade surge como forma de reconhecimento no campo jurídico o que ocorre no mundo dos fatos para que pais afetivos e biológicos possam exercer em igualdade de condições o poder familiar em consonância com o parágrafo 6º, do artigo 227, da Constituição Federal que assim prescreve: “Os filhos, havidos ou não da relação do casamento, ou por adoção, terão os mesmos direitos e qualificações, proibidas quaisquer designações discriminatórias relativas a filiação”.

Assim, pode-se afirmar que o reconhecimento da multiparentalidade assegura o melhor interesse da criança uma vez que terá a possibilidade por parte dos pais biológicos ou afetivos garantia de melhor “prover a mais completa e adequada garantia dos sujeitos envolvidos, ante os princípios constitucionais da dignidade da pessoa humana (art. 1º, III) e da paternidade responsável (art. 226, § 7º)” (STF, REx nº 898.060, Rel. Min. Luiz Fux, Pleno, J. 21/09/2016).

 

 

Por Ana Paula Savaris Mayer anapaula@dlmadvogados.com.br



Seja o primeiro a comentar sobre esta notícia:



Colunista do dia
Amanda Lyra

Amanda Lyra

Clave do som


Gustavo Siqueira

Gustavo Siqueira

Santa catarina Em Foco


Tacy de Campos

Tacy de Campos

Coluna Tacy de Campos




Mais lidas
Como organizar de maneira prática um cruzeiro para o Caribe

Como organizar de maneira prática um cruzeiro para o Caribe

Quer fazer aquele cruzeiro dos sonhos pelo Caribe mas ainda não sabe bem como se organizar suas férias


Festival de Inverno do Centro Histórico de Curitiba é confirmado de 18

Festival de Inverno do Centro Histórico de Curitiba é confirmado de 18

Julho é historicamente o mês mais frio de Curitiba.


Passeio Ciclístico será realizado neste domingo (26)

Passeio Ciclístico será realizado neste domingo (26)

Neste domingo, dia 26 de maio, acontecerá o passeio ciclístico em São José dos Pinhais


Startup oferece aulas online de inglês completamente grátis

Startup oferece aulas online de inglês completamente grátis

A plataforma curitibana Kultivi trabalha com dezenas de cursos gratuitos oferecidos por meio de economia compartilhada


Cantor mineiro comanda pocket show na Livraria Cultura

Cantor mineiro comanda pocket show na Livraria Cultura

Tuca Oliveira apresenta nesta sexta-feira (24) canções do álbum “As Flores do Começo”


Destaque de Santa Catarina

Destaque de Santa Catarina

Destaques da semana



Mais notícias deste colunista


Veja também outros colunistas



Voltar ao topo©Squarebits Software 2016. (Heroku)