Sabrina Matos
Sexta, 17 de maio de 2019, 00:00 h - Atualizado em 17/05, 15:26 h

A Mulher Balzaquiana

A Mulher de Trinta Anos, lançado em 1842 foi escrito pelo autor francês Honoré de Balzac (1799-1850).

Sabrina Matos : A Mulher
Autor: Redação
Foto: Divulgação.

O livro tem como protagonista a mulher de trinta anos madura experiente, independente bela e com aparência jovem, o sucesso e o impacto da obra fizeram com que fosse adotado o termo “Mulher Balzaquiana” para as mulheres que atingem os 30 anos (COMPANHIA DAS LETRAS).

Mas nos dias atuais quem é a mulher balzaquiana?

É a mulher guerreira, decidida, desprendida, afetuosa, sedutora, recatada, amorosa, vencedora, desiludida, vaidosa, madura, menina, gorda, magra, alta, baixa, loira, morena, mãe, esposa, profissional e etc.?

Todas são “BALZAQUIANAS”, não importa a idade, vivemos, sonhamos, caímos, levantamos, choramos, rimos, vencemos, perdemos, amamos, nos desiludimos, somos mãe, filha, amiga, esposa, profissionais, o que a vida nos exigir, seremos.

A mulher “BALZAQUIANA” é a mulher que gosta de ser mulher, que não lamenta a sua existência, que enfrenta o mundo mesmo estando se sentindo derrotada.

Ser mulher nos dias atuais é saber que a vida é um mar vasto e cheio de tubarões, mas também cheio de golfinhos, um dia o mar está revolto, mas no outro está sereno e calmo.

Não temos medo de navegar em águas turvas, pois são nessas águas que aprendemos que a vida é cheia de percalços, o mar tranquilo apenas acalma, não ensina que o mundo é uma mistura de tumultos e calmaria.

Uma “BALZAQUIANA” é um ser impulsivo e controlado, sabe o que quer e escolhe viver intensamente as paixões da vida, mas quando ama, se entrega de corpo e alma, busca o sucesso, mas não deixa de lado a beleza de ser mulher.

Acordar, levantar, enfrentar o mundo, cair, levantar, se apaixonar, amar, chorar, sorrir e novamente tudo isso todos os dias, isso é ser “BALZAQUIANA”.

A expressão “BALZAQUIANA” deve ser usada para todas as mulheres, não importa a idade, não importa se ela tem mais ou menos experiência, o que importa é ser feliz, lutar pelo que ela acredita. Em cada fase da vida aprendemos coisas novas, deixamos algumas opiniões para trás, desenvolvemos outras, mas cada momento vivido foi importante, as mulheres de 50 não teriam a experiência que tem se não tivessem passado pelos erros e acertos dos 20 ou dos 30 anos.

 


Comentários desta notícia:


19/05, 21:04 h -Eliandra :

"Estou adorando os temas. Sucesso...... "



Comente você também sobre esta notícia:



Colunista do dia
Tânia Jeferson

Tiomkim

Tiomkim

Coluna Tiomkim




Mais lidas
Aprenda inglês ouvindo música: esta é a proposta de curso no Solar do Rosario

Aprenda inglês ouvindo música: esta é a proposta de curso no Solar do Rosario

Que tal aprender um língua ouvindo música? Gramática e vocabulário da língua inglesa são ensinados de maneira simples e direta em curso do Solar do Rosário.


Celebremos Yule

Celebremos Yule

Saiba mais sobre o primeiro festival pagão a ser cristianizado


“Delírio” de Edson Bueno é celebrado em livro que será lançado dia 26

Como o empreendedor pode melhorar a comunicação?

Como o empreendedor pode melhorar a comunicação?

Confira dicas essenciais para melhorar a comunicação no ambiente dos negócios


Inovação na CASACOR Paraná: mecanismos elétricos para móveis garantem mais espaço por m²

Inovação na CASACOR Paraná: mecanismos elétricos para móveis garantem mais espaço por m²

A tecnologia dos atuadores lineares transforma espaços em ambientes multifuncionais e inteligentes


Veja 5 filmes para se divertir e aprender inglês com as crianças nessa

Veja 5 filmes para se divertir e aprender inglês com as crianças nessa

Aprender inglês e aguçar a criatividade vêm de bônus nesse momento do sofá e pipoca



Mais notícias deste colunista


Veja também outros colunistas



Voltar ao topo©Squarebits Software 2016. (Heroku)