Tacy de Campos
Quinta, 24 de maio de 2018, 16:27 h - Atualizado em 24/05, 16:29 h

Ser Só

Poesia de Tacy de Campos




Foto: Ilustração de Gui Paz

Receber a missão de ter que andar com as próprias pernas

Matar leões em sonhos e se contentar com o que há de ratos

Quem nunca?

Nos fatos da vida, a lida que eu escolhi é mais difícil que pensei

Nem tão estranha quanto parece

E temerosa, pelos caminhos por onde me levará...

Na linha do tempo, vejo sua foto

Comparada a minha, nada incomum

Você riso frouxo, sorriso largo, calma e repouso

Lembrando tudo que eu deveria ser e não sou

Cara de marra, marra na cara, força uma barra, pega a guitarra

Tá na cara, de igual, não há nada

E ainda é farinha da mesma sacada...

Finjo que não me abalo

Internalizo a solidão

Sei que sou diferente e não há uma solução

Tentei ser assim como tu, cidadão

Se deixar fotografar aos montes

Topar tudo, estar em todas!

Concretizar teus egos e grandezas

Mas não rolou pra mim

Ainda preciso filosofar, desconfiar

Preciso ser quem nasci ser..



Envie o seu comentário


Seja o primeiro a comentar sobre esta notícia:




Colunista do dia
Aninha Pazinatto

Coluna Papo de Piá

Coluna Papo de Piá

Coluna Papo de Piá



Mais Lidas
Precisamos falar sobre Fake News

Precisamos falar sobre Fake News

A irresponsabilidade de disseminar boatos pela internet pode nos custar caro


Ser Só

Ser Só

Poesia de Tacy de Campos




Mais notícias deste colunista


Veja também outros colunistas



Voltar ao topo©Squarebits Software 2016.