Terça, 24 de outubro de 2017, 09:30 h - Atualizado em 24/10, 09:31 h

Autorizado para matar

Segurança em primeiro lugar

Cel Costa Filho:São José dos Pinhais
Autor: Redação
Foto: Divulgação.

Mais uma vez acompanhamos os noticiários mostrando cenas de violência, onde um adolescente discutiu em uma festa de igreja, ficou nervoso, pegou o carro como se ele fosse uma arma o usou para descarregar sua raiva, mas ao virar uma curva se deparou com crianças brincando e atropelou, matou uma criança de oito anose fugiu sem prestar socorro.

            Esperou passar as 48 horas prevista na lei para se apresentar em uma delegacia e agora vai responder em liberdade enquanto os pais da criança choram seu a perda do filho.

            Da mesma forma vimos outra criança de 14 anos que sofria de bullying atar colegas de classe.

            A lei é para ser cumprida e isso não se discute, mas não posso deixar de expressar meu descontentamento com nossa legislação.

            Independente da lei dizer que se o autor não for preso em quarenta e oito horas após o crime, tem o direito de responder em liberdade, mas deveria sim uma análise do juiz avaliar se a conduta do autor faz necessário ou não que o mesmo tenha sua prisão decretada e ou que seja estipulada uma fiança para que possa ter o direito de responder em liberdade, mas não as fianças que hoje são estipuladas e que tem valores ridículos se comparados com os crimes cometidos.

            Com relação à criança que cometeu os crimes em Goiânia, não quero entrar no mérito do que o levou a cometer esses assassinatos, mas sim a legislação que para duas mortes e quatro feridos estipula uma pena de 45 dias, e pela legislação a pena máxima de 3 anos de reclusão.

            E da mesma forma vemos quase que diariamente pela televisão ou pelas redes sociais cenas de guerra onde a polícia apreende fuzis e que àqueles que os portavam tem penas decretadas pela justiça, isso depois de vários anos de duração dos processos que são “empurrados com a barriga” como se diz popularmente, e as panas são iguais para quem foi preso com um revólver.

            Isso é inaceitável, a lei deveria ser mais enérgica com os crimes mais graves e mais branda para com os crimes mais leves, mas infelizmente nossas leis foram feitas para punir o cidadão de bem e beneficiar os marginais.

 

            Mas nunca esqueçam que PREVENIR é sempre o melhor remédio.

            E caso tenham alguma dúvida ou sugestão para matéria, envie um e-mail para coronelcosta181@gmail.com

 



Seja o primeiro a comentar sobre esta notícia:



Colunista do dia
Julio Borges

Julio Borges

Artes Marciais


Tiomkim

Tiomkim

Coluna Tiomkim




Mais lidas
Espaço Bamboo comemora seu primeiro ano em grande estilo

Espaço Bamboo comemora seu primeiro ano em grande estilo

Show com a banda Voraz , Oficinas, comida, flash tattos e muito mais.


São-joseense, Rodrigo de Paula vai pedalar quase 5 mil km no trajeto Ushuaia

São-joseense, Rodrigo de Paula vai pedalar quase 5 mil km no trajeto Ushuaia

Antes de pegar o avião em dezembro, ele participou do 1º Ciclo Turismo Reservas Ambientais – Eco Guaricana


Mulheres de Sucesso: Valquiria Crispim

Mulheres de Sucesso: Valquiria Crispim

Destaque da Semana


Colônia Murici comemora 140 anos de fundação

Colônia Murici comemora 140 anos de fundação

Medalha que marca a importância da colonização também é referência de um século da primeira entidade de comércio da cidade, a Sociedade Agrícola São José (1906)


Inclusão: novembro terá ‘Dia do Lazer Acessível’ com diversas atividades em SJP

Inclusão: novembro terá ‘Dia do Lazer Acessível’ com diversas atividades em SJP

SEMEL – realiza no próximo dia 24/11 evento com objetivo de promover ainda mais integração de pessoas com necessidades especiais (PNE) do município.


Então é Natal

Então é Natal

Fofuretes da Semana




Mais notícias desta categoria


Voltar ao topo©Squarebits Software 2016. (Heroku)