Quinta, 17 de janeiro de 2019, 19:56 h - Atualizado em 17/01, 20:00 h

Como ensinar empatia para crianças

De acordo com cientistas, a leitura de ficção literária é um dos métodos mais efetivos para estimular afeto e conexão

Redação:Empresarial
Autor: Redação
Foto: Divulgação

Pesquisadores da Escola de Pesquisas Sociais, de Nova York, descobriram que a leitura de histórias e contos de ficção podem estimular que adultos e crianças entendam o seu próximo ou, ainda, se coloquem no lugar dele. Essa habilidade, que seria denominada de empatia, possibilita e facilita as relações sociais para melhor compreender situaçãoes e ações do cotidiano. Durante os experimentos de leitura, a ficção literária foi a que mais estimulou o cérebro dos participantes.

Pelos resultados positivos, essa se tornou uma das práticas recomendadas por Celize Ogg Nascimento Domingos, coordenadora-pedagógica do Ensino Fundamental – Anos Iniciais do Colégio Marista Anjo da Guarda, em Curitiba (PR). Ela sugere que ler para os filhos, além de fortalecer a relação, permite que tanto adultos como crianças vivenciem situações inéditas. “Ao se colocar no lugar dos personagens é possível analisar a maneira como cada um reagiu a determinada situação, opinar sobre as atitudes positivas e questionar o que poderia fazer de diferente”, explica.   

A coordenadora avalia também que o papel da família é fundamental no quesito empatia, por ser o primeiro vínculo social da criança. Depois, na escola, surgem outros desafios e é preciso que o aluno esteja equipado emocionalmente para poder lidar com as diferenças e estabelecer relações positivas e saudáveis. “Estimular a empatia é um trabalho de todos. Tanto em casa como na escola é preciso ensinar pelo exemplo e mostrar que nem sempre todos concordam ou têm a mesma opinião sobre os assuntos, mas que com compreensão é possível chegar a um caminho do meio”, analisa Celize.

Além da leitura, ela dá outras  dicas para ensinar e reforçar a habilidade da empatia nos pequenos (e também nos grandes, por que não?):

  1. O dia a dia das famílias é cada vez mais agitado e acelerado, então é importante estabelecer um tempo para conversar com as crianças. Falar sobre situações do trabalho e da vida adulta mostra que os pais também têm dificuldades, tanto quanto os filhos, e o diálogo a juda a superar essas questões. A hora do café da manhã ou após o almoço, por exemplo, podem ser bons momentos para criar essa rotina.
  2. Lembre-se de estar totalmente presente nesses momentos. Dividir a atenção com o celular, tablet ou televisão mostra que você está apenas parcialmente presente e isso é um péssimo exemplo de empatia.
  3. Em situações de conflito não basta apenas pedir desculpas da boca para fora. Estimule a criança a entender o sentimento do outro e perguntar como pode resolver a situação.
  4. Da mesma forma, pedir desculpas quando errar com a criança é um bom exemplo e mostra que a comunicação está aberta. Conversar para entender o que houve e como a situação pode ser contornada é o próximo passo.
  5. Atividades artísticas como aulas de música, pintura e dançar em dupla são bons exercícios para entender sentimentos próprios e do seu par, além de estimular vínculos afetivos, especialmente para crianças introspectivas.



Seja o primeiro a comentar sobre esta notícia:



Colunista do dia
Amanda Lyra

Amanda Lyra

Clave do som


Gustavo Siqueira

Gustavo Siqueira

Santa catarina Em Foco


Tacy de Campos

Tacy de Campos

Coluna Tacy de Campos




Mais lidas
Cultura realizará Sábado Animado de abril no dia 27

Cultura realizará Sábado Animado de abril no dia 27

O próximo Sábado Animado, que será realizado no dia 27 de abril


Curitiba ganha festival de jazz

Curitiba ganha festival de jazz

O Curitiba Jazz Sessions terá sua primeira edição no mês de maio, na Ópera de Arame, e trará para capital paranaense os consagrados músicos Hamilton de Holanda e Joshua Redman


Mostra de videodança no Sesi Portão transforma a linguagem audiovisual

Mostra de videodança no Sesi Portão transforma a linguagem audiovisual

Sessão promovida pela Cia Margaridas revela inovação artística


 Shopping em Curitiba recebe concurso de cosplay

Shopping em Curitiba recebe concurso de cosplay

Evento acontece neste sábado (27) e tem como premiação seis meses de cinema grátis


 E no Japão, se tem arroz é cerveja ou saquê?

E no Japão, se tem arroz é cerveja ou saquê?

Hoje vamos falar mais um pouco de cervejas diferentes, buscando até mostrar que alguns ingredientes bastante criticados também podem ser apreciados por muitas pessoas.


Música e teatro de bonecos comandam o último fim de semana de abril

Música e teatro de bonecos comandam o último fim de semana de abril

Espaço Faz de Conta, Teatro de Bonecos Dr. Botica e Teatro EBANX Regina Vogue estão com programações para toda a família




Mais notícias desta categoria


Voltar ao topo©Squarebits Software 2016. (Heroku)