Segunda, 08 de outubro de 2018, 00:00 h - Atualizado em 08/10, 00:00 h

Mastologista alerta sobre a importância da mamografia.

O rastreamento mamográfico pode levar a chances de cura acima de 90%.

HNSG:Outubro Rosa
Autor: HNSG
O conteúdo desta matéria é de total responsabilidade do autor.
Foto:

Outubro Rosa busca a conscientização das mulheres a respeito da importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Especialistas destacam a importância da mamografia, que deve ser realizada obrigatoriamente a partir dos 40 anos e é mais importante que o autoexame. “ O autoexame permite o contato de lesões palpáveis, ou seja, quando o tumor possui pelo menos 1 cm, e para que o tratamento seja menos agressivo, o diagnóstico precoce descoberto pela mamografia, antes da doença se manifestar clinicamente, é mais eficaz”, orienta o mastologista do Graças, Dr. Cícero Urban.

O rastreamento mamográfico pode levar a chances de cura acima de 90%. “E isto é fundamental para que possamos reduzir a mortalidade desta doença que deverá acometer mais de 58 mil mulheres em 2018”, relata o médico. Nódulos, retração de pele, retração do mamilo, feridas na aréola e mamilo são sinais importantes. Mas as mulheres nunca devem esperar ter dor ou sentir algo para consultar o seu ginecologista.

 

Sobre a mastectomia

 

 

Quando uma mulher é diagnosticada com câncer de mama, uma das primeiras coisas que passa pela sua cabeça e por todos a sua volta é que ela terá que retirar a mama. O procedimento é a mastectomia, um momento muito difícil para as pacientes que enfrentam esta batalha.

O mastologista do Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG), Dr. Cícero Urban, explica que este procedimento pode ser evitado em alguns casos. “Nem sempre as mastectomia é realizada, algumas pacientes com câncer de mama podem ter suas mamas preservadas”, esclarece o médico.

A agressividade da cirurgia vai depender do estágio do tumor. O médico destaca que o câncer de mama não é uma única doença, mas uma classe de doenças, que pode variar, com tumores pouco agressivos a mais agressivos. “Tumores pequenos permitem cirurgias menos agressivas, porém, existem situações onde mesmo com tumores pequenos precisamos retirar a mama. E isto depende do tamanho da mama e de algumas características do tumor”, conta.

A mastectomia, com o passar do tempo e o avanço da medicina, está menos agressiva do que 30 anos atrás. “Procuramos obter o máximo da eficácia, com o mínimo da radicalidade”, explica Dr. Cícero. Ele também ressalta que, na maioria dos casos, após a cirurgia, é indicada e feita a reparação da mama. “Em ambos os casos procuramos realizar a cirurgia reparadora – de reconstrução mamária – no mesmo momento da cirurgia do câncer. A reconstrução é, portanto, parte do tratamento”, afirma.

Após a cirurgia, os cuidados pós-operatórios são essenciais para a recuperação da paciente, mas vão depender do tipo de cirurgia que ela foi submetida. “De maneira geral deve-se evitar atividades físicas mais intensas nas primeiras semanas, realizar fisioterapia precocemente e evitar o sol nas cicatrizes durante meses. Algumas pacientes necessitam de drenos, que também precisam de cuidados especiais. Mas geralmente é um pós-operatório tranquilo”, avalia.

O ideal e o objetivo dos médicos é que a mulher possa levar uma vida normal, o mais próximo do que ela viva antes do diagnóstico. “É isto que buscamos, qualidade de vida, não apenas a cura. Porém, sabemos que isto nem sempre é fácil. A mama é um órgão muito delicado para a autoestima feminina, para sua saúde física, sexual e psicológica. Assim , existem muitos aspectos envolvidos na superação desta doença. Mas o ideal é que possa levar uma vida normal”, conclui.

 

Menor tempo de cirurgia, para retirada de tumor de mama

O Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG), possui a tecnologia Faxitron, que poucos hospitais do país possuem, e que é um grande avanço para a área de mastologia. O aparelho, permite que a biópsia do tumor da mama, seja feita durante a cirurgia. Antes o tempo de cirurgia era muito maior. A peça operatória depois de ressecada, era enviada para um aparelho de mamografia fora do centro cirúrgico. “Este processo levava de 15 a 20 minutos, com a paciente anestesiada e algumas vezes era necessário repetir e esperar o mesmo tempo de novo”, explica Dr. Cícero.

O Faxitron, além de tornar a cirurgia muito mais rápida e segura, também permite imagens radiográficas em tempo real e com alta precisão de peças operatórias, principalmente de tumores não palpáveis. “A qualidade da imagem do Faxitron é muito superior, permitindo avaliar com maior precisão as microcalcificações, nódulos e margens de ressecção em poucos segundos”, afirma o especialista.



Seja o primeiro a comentar sobre esta notícia:



Colunista do dia
Aninha Pazinatto

Jorge Marcondes

Jorge Marcondes

Coluna Papo de Piá




Mais lidas
Enfim, as escolas nascentes?

Enfim, as escolas nascentes?

Mais um texto da série especial


Espetáculo "Em casa a gente conversa" traz Cássio Reis e Juliana Knust

Espetáculo "Em casa a gente conversa" traz Cássio Reis e Juliana Knust

Peça aborda problemas rotineiros do casamento em duas apresentações no Teatro Regina Vogue


II Mostra Intermunicipal Mulheres na Ciência: exposições estão abertas

II Mostra Intermunicipal Mulheres na Ciência: exposições estão abertas

É a segunda vez consecutiva que o município de São José dos Pinhais realiza um evento dessa proporção.


Roger Waters: O gênio criativo do Pink Floyd em Curitiba

Roger Waters: O gênio criativo do Pink Floyd em Curitiba

Combinando clássicos do Pink Floyd, algumas canções novas e trabalho solo, o astro britânico desembarca na cidade no próximo dia 27 de outu


Câncer de Pâncreas é na maioria das vezes é diagnosticada de forma tardia

Câncer de Pâncreas é na maioria das vezes é diagnosticada de forma tardia

Por isso apenas 15 a 20% dos pacientes são candidatos à cirurgia com potencial de cura.


Vida de CHICO XAVIER em superprodução musical  “Um Cisco” estreia no Guairão

Vida de CHICO XAVIER em superprodução musical “Um Cisco” estreia no Guairão

A trama se desenvolve numa estação de trem, onde a vida do médium é narrada desde os seus 4 anos de idade até a sua morte, aos 92 anos.




Mais notícias desta categoria


Voltar ao topo©Squarebits Software 2016. (Heroku)