Quarta, 07 de março de 2018, 00:04 h - Atualizado em 08/03, 09:11 h

Mulheres - O "X" da Questão

Homenagem ao Dia Internacional da Mulher




*Amanda Lyra é cantora, compositora, colunista de cultura e editora do Jornal VRNews.
*Amanda Lyra é cantora, compositora, colunista de cultura e editora do Jornal VRNews. - Foto: Arquivo Pessoal

Nesse dia especial, escolhi algumas mulheres com qual convivo e que tenho certeza, são espelhos nas suas carreiras. São Mães, filhas, avós, profissionais que tem dupla e tripla jornada. Para vocês nosso carinho nesta data.- Vera Rosa - Diretora do jornal VRNews

Ao escolhar algumas mulheres para estarem aqui hoje, pedi que cada uma enviasse um depoimento, contando um pouco da sua vida, como escolheu sua carreira, como venceu um desafio. E assim fui juntando uma história aqui, outra ali e aqui está a homenagem que o Jornal VRNews, faz a estas guerreiras chamadas "Mulher". 

E para completar compartilhar esta mensagem escrita pela Amanda Lyra, cantora, compositora, colunista e editora do nosso jornal. Ela  sofreu um acidente gravissímo e que como tem uma doença rara, sua recuperação foi uma grande vitória. Com um diagnóstico nada animador, Amanda não se deixou abater e lutou muito.  Um verdadeiro milagre aconteceu em sua vida. 

 

Para vocês: 

 

Mulheres - O "X" da Questão

Tem mulher que canta, que encanta, que conta, que descansa, que é mãe, que é filha, que é médica, que escreve, que fotografa, tem mulher que arruma carro, que entrega carta, que faz comida, que cuida da casa.. Tem mulher de todo tipo, sim sim, tem mulher que não nasceu mulher, tem mulher que tem mulher, e mulher que tem marido, e mulher que quer ser só, mulher que passou por poucas e boas nessa vida. Tem mulher que é bicho grilo, mulher que é descolada e tem aquelas que decolam e as que declamam.. Ah não esqueça que reclamam, e como reclamam! Clamam todo dia por direitos, pra estudar e ganhar o mesmo salário de quem tem saco...
Ora bolas, elas oram e pedem, rezam e oferecem, elas têm fé, e algumas não crêem, mas tudo bem, cada uma sabe de si. Mulheres que ficaram doentes, que rasparam a cabeça, que perderam o seio, o filho, o sonho, a liberdade, a voz, o direito.. Mas lutam, essas mulheres!

Tem mulher que é meio mito, outras meio monstros. Mulheres brancas, negras, pardas, amarelas, tatuadas, coloridas, punks e puritanas, tantos tipos de mulher, que acredite se quiser, tem a essência (e as vezes a chatice) divina. É a mulher que vai pro parto, que aguenta o tranco de um baita parto e que tem um jeito especial de ser mãe, avó, tia, madrinha ou simplesmente amiga...
Mulheres foram pra fogueira, pros campos nazistas, foram para as fábricas, fizeram história. E quantas não foram as mulheres que incentivaram seus homens a criar, pintar, compor e tudo o mais!

O Ultraje gosta delas, e são elas as musas dos artistas..
Ahh Maria, Janaína, Camila, Carla, Ana Julia, Rita, Alice, Laura, Maitê, Rosana, Rosa, Vera, entre tantas outras...

O "X" da questão é simplesmente um par de xis, de pernas e braços abertos pra perpetuar a humanidade nesse planeta esquizofrênico..

Texto de Amanda Lyra

#semanadamulherVRNews

A fé na busca do conhecimento: Miriam Ribeiro da Silva Müller

Foto: Arquivo Pessoal

Defino-me como uma mulher cristã em construção, fui instruída na palavra desde menina, na adolescência decidi que seria uma seguidora de Jesus Cristo.  Estudei teologia, li muitos livros, eu tinha fome de conhecimento, desejei muito ser missionária, depois seguindo as orientações de Deus, fiz faculdade de Direito, nunca desejei advogar, nem mesmo ocupar lugar de destaque, meu desejo profundo sempre foi destacá-lo, fazer o Senhor Jesus conhecido, penso que mais que pregar preciso viver pra que isso aconteça.

Errei muito, me casei e dez anos depois me divorciei, eu era jovem e talvez não soube cuidar do meu casamento, tive pavor de educar meus filhos sozinha, ai fiz como meus pais fizeram comigo instrui-os na palavras). Meus filhos sobreviveram a mim, somos amigos e eles também amam ao Senhor. Profissionalmente recebi a honra de assessorar grandes homens da minha cidade, Prefeito Leopoldo, prefeito Setim, Prefeito Toninho e agora deputado Leopoldo, assessora também autoridades eclesiásticas, homens de Deus que tem feito a diferença na cidade, gosto do que faço, faço com amor e dedicação. Recebi do Senhor uma nova oportunidade de me casar, e estou me dedicando em fazer melhor dessa vez.

As muitas águas não puderam apagar ou abalar o meu amor pelo Senhor Jesus, Ele foi, é e será todos os dias da minha vida a razão do meu existir, sem Ele não haveria vida em mim. Com Ele  me sinto segura, Nele recebo orientação pra todas as áreas da minha vida. Dedico a cada mulher o Salmo 37 verso 4 ” 4 Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração.”

 

*Por Miriam Ribeiro da Silva Müller

Assessora do Conselho de Pastores de São José dos Pinhais 

A arte de ser atriz, bonequeira, mãe, esposa, avó: Tadica Veiga

Foto: Arquivo Pessoal

Uma amiga me pediu para escrever sobre ser mulher, atriz, bonequeira, mãe, avó, esposa, irmã, filha, amiga, cidadã e gente.  Quando li, e comecei a pensar a respeito só consegui rir.

Menina Mulher.

Sou filha de uma menina, irmã de meninas, mãe de menina, avó de meninas.

Ser mulher é ser multitarefas, é uma loucura, um conflito de emoções.

 Amar e ser amada, respeitar e ser respeitada, competente e exigir competência, perdoar e ser perdoada, ser doce e ser cruel, recatada e audaciosa, viver e deixar viver.

A gente não vem com manual de instruções e só quando temos filhos é que compreendemos um pouco nossos pais, e pensamos como acertar onde achamos que erraram com a gente.

Então descobrimos que cometemos outros erros e outros acertos, porque a vida é assim, para a frente, hoje, agora.

Nada dá para deixar para depois, nem mudar o que já foi vivido e que temos de fazer é o seu melhor, todo dia e o saldo vamos ver depois.

Tem que conhecer a história da humanidade, da sua família, dos seus pais, para poder escrever seu futuro, a sua história.  E descobrir que somos só um parágrafo, e com sorte um capitulo num livro enorme chamado Vida.

Portanto meninas, não importa sua idade, somos para sempre meninas, tentando acertar e ser feliz. Alguns fatos às vezes nos atropelam, mas a gente levanta e se apruma.

E não esqueçam, não importa o que aconteça, você merece amar e ser amada, portanto viva e deixe viver.

Feliz dia da Mulher

 

*Por Tadica Veiga

Atriz, Bonequeira

Fisioterapia, a forma de ajudar na cura: Franciele Chiaratti

Foto: Arquivo Pessoal

Eu sempre me interessei pela área da saúde, e me identifiquei com a fisioterapia pela proximidade que tem com as pessoas, além de ajudar a promover qualidade de vida. O mercado de trabalho é bastante amplo, porém, o meu objetivo sempre foi ter a própria clínica com o propósito de desenvolver um trabalho diferenciado de atenção aos pacientes, oferendo atendimento personalizado.

Conciliar a vida de fisioterapeuta e empresária, como tudo na vida tem seus prós e contras. As dificuldades deverão ser vistas como um motivo a mais para seguir em frente, sem desistir ou se dar por vencido logo no início. É um longo caminho a percorrer. Adotar uma postura positiva em relação aos desafios planejando-se, contando com uma rede de apoio, e, sobretudo, não se esquecendo de dedicar algum tempo para a sua vida pessoal.

 

*Por  Franciele Chiaratti

Fisioterapeuta

O Direito e a Lei: Ana Paula Savaris Mayer

Foto: Arquivo Pessoal

Minha carreira iniciou desde os primeiros anos de vida quando caneta, papel e livros sempre foram minha brincadeira preferida, apegada a esses objetos, nunca me interessei por brincadeiras comuns das meninas da minha idade. Como de fato, minha paixão sempre foi estar envolvida entre os papéis, livros e debates intensos (ainda que no âmbito doméstico) acabei direcionando minha vida profissional à área jurídica exercendo função de auxiliar juramentada no Poder Judiciário por 19 (dezenove) anos. 

Realizei-me como mulher quando me tornei mãe do Wilson Carlos (10), e com ele ainda bebe fui direcionando minha vida àquilo que me fazia feliz concluindo a faculdade de Direito em 2010. Tornei-me advogada em junho de 2012 quando no ano de 2013 para completar minha carreira como Mãe fui agraciada com Ana Beatriz (3). Dois filhos maravilhosos, iniciante em uma carreira que exige muitos cuidados passei a realizar malabarismos diários para dar conta de todas minhas atividades pessoais e profissionais, mas posso afirmar que a carreira jurídica nasceu quando eu nasci – eu sempre soube o que de fato me faria feliz, especialmente, hoje, afirmo sem qualquer dúvida que a advocacia me realiza como mulher e como ser humano.

 

*Por Ana Paula Savaris Mayer

Advogada.

Jornalismo para levar as notícias... moda e cultura, uma paixão: Tânia Jeferson Pinheiro Pallú

Foto: Arquivo Pessoal

 “O Dia da Mulher para mim é uma data muito importante celebrar o que foi feito pelas mulheres até aqui na luta pela igualdade de oportunidades, mas principalmente para lembrar que ainda há muito o que ser conquistado, muito preconceito para ser derrubado e muito machismo a ser combatido diariamente.

Minhas escolhas na vida sempre foram baseadas em questões que poderiam fazer diferença não só no meu cotidiano, mas na vida de outras pessoas.

Eu escolhi estudar Jornalismo para dar voz às questões femininas e sociais, mesmo sendo muito difícil no sistema em que estávamos inseridas. Melhorou muito depois da internet.
Eu escolhi estudar Moda para que, através da arte e da costura, pudesse de alguma forma, mesmo que retórica, ajudar as mulheres a se aceitarem, cuidarem de si gerando renda própria e entenderem o poder de cada uma individualmente e coletivamente.
Escolhi estudar a Dança do Ventre para o meu autoconhecimento corporal e transcedental, me sentir bonita e multiplicar isso para outras muitas mulheres.

Se pudesse escolher como nascer novamente, nasceria mulher mais uma centena de vezes e continuaria na luta. Esse é o legado que quero deixar para meninas e meninos da minha família, para que multipliquem esse comportamento e consigam viver numa sociadade mais igualitária e tolerante.
Nós podemos e sempre poderemos.”

 

*Por Tania Jeferson Pinheiro Pallú

Jornalista, produtora de conteúdo. 

A fé e a cura: Adriana Zadrozny

Foto: Divulgação.

Na dualidade da vida, o inverno não traz apenas escuridão e frio.

Ele traz a chance da introspecção, a paz para olhar para dentro, a esperança de uma primavera que virá.

Meu longo inverno assumiu a forma de um câncer de mama. Meu longo inverno me permitiu experimentar o frio, o escuro, por vezes a dúvida.

Mas meu longo inverno teve também cheiro de canela, caldos fumegantes de coragem e família reunida dentro e fora de mim. E sempre sussurrou em meu ouvido que a primavera chegaria.

E ele cumpriu a sua promessa.

 

*Por Adriana Zadrozny

Nutricionista, lutou e venceu um câncer de mama. 

Farda, amor e competência: Márcia Rodrigues Geraldo

Foto: Arquivo Pessoal

Tenho 20 anos de corporação, atualmente sou supervisora no Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão.

Embora eu não tenha filhos, meu companheiro também é Policial Militar e tenho a dupla jornada, de ser policial e dona de casa, como tantas outras mulheres que trabalham fora e tem que cuidar da casa.

Recentemente me formei no Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos, obrigatório para a promoção a 1º Sargento. Foram quatro meses de estudos, numa turma de 48 alunos e eu era a única policial militar feminina.

A gente teve no passado, muita discussão sobre a Policia Militar ser um ambiente totalmente masculino e da dificuldade que as mulheres tem em desempenhar seu papel aqui. Eu sou contra e discordo dessa opinião de algumas pessoas.

Independente da profissão que você escolha, você precisa fazer com competência.

Eu estou na Policia Militar para somar. Em qualquer profissão existe a dificuldade. Nós não temos talvez a mesma força física que um policial masculino, mas temos que criar nossas habilidades. Eu sempre busquei isso.

Muito se falou de empoderamento feminino, que seria a busca da igualdade entre homem e mulher, mas vou além disso. Acho que a mulher para que busque essa igualdade ela precisa buscar seu espaço no local de trabalho, essa busca sempre com muito profissionalismo e fazer um bom trabalho. Você deve mostrar seu poder como mulher fazendo com amor tudo que se propôs na sua profissão que escolheu. 

 

*Por Márcia Rodrigues Geraldo, 2º Sargento da Policia Militar do Paraná 

Da Marcha Atlética ao sonho da Olimpíada: Tânia Spindler

Tânia Regina Spindler com as filhas Maria Vitória Spindler e Carolina Spindler.
Tânia Regina Spindler com as filhas Maria Vitória Spindler e Carolina Spindler. - Foto: Divulgação.

Considero que minha vida como atleta e agora como professora de educação física, atualmente atuando como personal trainer, sempre se pareceu com  a vida de uma trabalhadora comum, que tem os afazeres do seu trabalho, tem cuidar das tarefas de dona de casa e principalmente gerar e cuidar dos filhos.

Como atleta uma das maiores dificuldades que tinha era em relação as muitas viagens e períodos de treinos e competições pelo Brasil e no exterior, mas graças  ao apoio de meu esposo e meus familiares essas dificuldades eram amenizadas. Ter um companheiro que compreenda e divida com a esposa as tarefas do lar e os cuidados com os filhos facilitam a vida da mulher.

*Por Tânia Regina Spindler

Música, radio e arte: Marielle Loyola

Foto: Divulgação.

"Só tento fazer minha parte, divulgando limitadamente os artistas da cidade q vejo que estão com "sangue no zoio"... com vontade de respirar música.


Trabalho com isso desde os 18 anos... nunca fiz nada q não fosse relacionado a música. Tenho uma carreira que graças a Deus me faz uma pessoa totalmente realizada, e por isso tento ajudar outros artistas a viverem esse sentimento q eh tão maravilhoso... ser feliz!!!

Já me fizeram a pergunta sobre ser mulher num mundo masculino muitas vezes... e não sei responder... nunca senti essa coisa do preconceito ... ou nunca me
liguei... Acho que homens que vivem de música não estão muito preocupados com esse tipo de coisa. Ser músico é maior que qualquer preconceito, ser músico, sendo homem ou mulher já é ter q viver "no preconceito", pois são seres maiores do que tudo que está na orla da maldade e da vida cotidiana repleta de competição.
 Músicos só querem ser ouvidos, cada um de sua forma, em seu estilo, em seu tom...uns mais alto, outros mais sublimes ... toda música tem seu valor, sua nota, seu público, e com certeza, todos só querem ser e fazer feliz,


*Por  Marielle do Rocio Loyola Portilho, taurina com ascendente escorpião - cantora, radialista e agitadora cultural


Autor:

58bef2dd3d11673fec3d4e67 profile original

Vera Rosa

Colunista, apresentadora e diretora do Jornal VRNews



Envie o seu comentário

Comentários desta notícia:


08/03, 14:44 h -Kah Klein:

"Parabéns a todas as mulheres guerreiras e um beijo especial a minha querida amiga Tânia 😍"



Comente você também sobre esta notícia:


Colunista do dia
Julio Borges

Julio Borges

Artes Marciais


Tiomkim

Tiomkim

Coluna Tiomkim




Mais lidas
CASACOR Paraná promove festa de lançamento do Anuário 2018

CASACOR Paraná promove festa de lançamento do Anuário 2018

A edição de 2018 da CASACOR Paraná aborda o tema “Casa Viva”.


Espetáculo faz homenagem à vida de Carmen Miranda

Espetáculo faz homenagem à vida de Carmen Miranda

“O que é que a Maria tem?” será apresentado nos dias 18 e 19 de maio, às 16h, no Teatro Sesi Portão, com ingressos a partir de R$ 10


Deixa o povo amar como e quem quiser

Deixa o povo amar como e quem quiser

Uma carta contra o preconceito


Para o friozinho, bolo de Pinhão, com apenas 3 ingredientes

Para o friozinho, bolo de Pinhão, com apenas 3 ingredientes

Receita deliciosa e fácil de fazer. Experimente


Com a chegada do frio, Agência do Trabalhador de SJP abre mais cedo

Com a chegada do frio, Agência do Trabalhador de SJP abre mais cedo

A medida, segundo do diretor da Agência do Trabalhador Vilson Marques, será adotada até o fim do inverno


Ministério de Música Mãe de Pentecostes se apresenta no Teatro Sesi

Ministério de Música Mãe de Pentecostes se apresenta no Teatro Sesi

Em comemoração ao I ano do Evento Jubilar do Movimento da Renovação Carismática Católica, que aconteceu em Roma




Mais notícias desta categoria



Assalto  com  hora marcada

Assalto com hora marcada

Segurança em primeiro lugar

Terça, 01 de maio de 2018, 00:00 h


CUIDADOS COM A PELE NO INVERNO

CUIDADOS COM A PELE NO INVERNO

Destaque da Semana

Domingo, 29 de abril de 2018, 18:28 h

Voltar ao topo©Squarebits Software 2016.