Sábado, 02 de setembro de 2017, 10:22 h - Atualizado em 02/09, 11:12 h

Tom Jobim

Embaixador da música brasileira

Marcos Silva:Cultura
Autor: Redação
Foto: Divulgação.

Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim foi o responsável pela grande divulgação da música brasileira para o mundo. Com certeza antes dele  outros músicos e compositores foram fundamentais para a formação de nossa música popular, mas foi através de Tom que o mundo conheceu e reverenciou o que tínhamos a acrescentar ao universo musical, e assim conquistar o prestígio que a música popular brasileira tem no cenário mundial.

No início da década de 60 uma nova estética musical se apresentava na música popular. O disco Chega de Saudades de João Gilberto é considerado um marco deste movimento. Um pouco antes, em 1956, foi montado no Rio a peça Orfeu da Conceição, de Vinicius de Moraes,  que depois teve uma adaptação para o cinema, por Marcel Camus, como Orfeu Negro. O filme teve um grande sucesso mundial, foi premiado com a Palma de Ouro no Festival de Cannes (França) e Oscar de melhor filme em linha estrangeira(EUA). Sendo um musical o grande destaque era sua trilha sonora, que apresentava ao mundo este novo momento musical brasileiro. A partir do filme de Camus, percebe-se em diversos músicos internacionais um crescente interesse sobre a música brasileira. Manhã de Carnaval de Luiz Bonfá e Antonio Maria (composta para o filme) ficou conhecida nos Estados Unidos como Black Orpheus e teve mais de 700 gravações, uma grande interpretação de Frank Sinatra, e faz parte do famoso Real Book coletânea de partituras que reúne os melhores standards de jazz.  O grande trompetista Dizzy Gillespie declarou que o seu primeiro contato com o Samba do Brasil foi através da trilha de Black Orpheus. O mesmo impacto também foi declarado pelo flautista Herbie Mann e o saxofonista  Stan Getz. Lágrimas de Orfeu, harmonizada por Jobim e Bonfá, teve um grande impacto sobre o jazz americano, e vários músicos viajaram para o Brasil para conhecer e tocar com músicos brasileiros. Os primeiros reflexos começaram a chegar aos EUA em 1961 com gravação (Stan Getz e o guitarrista Charlie Byrd)  de  “Jazz Samba”. Diante de tamanho interesse, por parte do público americano, foi organizado em 1962 o Festival de Bossa Nova” com apresentações de músicos brasileiros no Carnegie Hall em Nova York, outro grande marco da música brasileira.

E para este cenário musical dos anos de 50 e 60, a participação de Tom Jobim foi fundamental. Foi ele quem produziu as canções para Orfeu da Conceição e posteriormente, juntamente com Luiz Bonfá, para o filme Orfeu Negro, começando a inseparável e produtiva parceria Tom & Vinicius. Foi o arranjador, produtor, e responsável  musical pelo disco Chega de Saudades de João Gilberto. Foi o grande destaque da apresentação Festival de Bossa Nova no Carnegie Hall. Esteve presente nas primeiras gravações de grandes nomes do Jazz como Stan Getz e Charlie Byrd. Era extremamente reverenciado  por músicos estrangeiros  como Ella Fitzgerald, que faziam questão de terem suas composições em seu repertórios. Em 1964 ganhou, com a composição Garota de Ipanema (parceria com Vinicius),  o Grammy de Musica do Ano, competindo com Beatles, Elvis Presley e Rolling Stones. Em 1965 já gravava individualmente para o mercado norte americano o álbum “The Composer of Desafinado”. O mito Frank Sinatra, o maior nome da música mundial à época, o tinha em grande estima e admiração, gravando com ele vários disco como “Francis Albert Sinatra & Antonio Carlos Jobim” (Reprise, 1967), e “Sinatra & Company” (Reprise, 1971). Dando inclusive ao brasileiro destaque raramente dado a outros parceiros.

Por todo este contexto Tom Jobim pode ser considerado uma espécie de Embaixador da música brasileira. Não somente na formação da identidade de nossa MPB, mas principalmente de seu trabalho de exposição do melhor de nossa produção fora das fronteiras nacionais.

Alguns links para conhecer mais:

Wikipedia: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B4nio_Carlos_Jobim

Portal Oficial: http://www2.uol.com.br/tomjobim/index_flash.htm

Instituto Tom Jobim: http://portal.jobim.org/

Livros:

Antonio Carlos Jobim. Uma Biografia – Sergio Cabral (1997)

Tons sobre Tom – Marcia Souza Cezimbra (1995)

Tom Jobim, Historias e canções – Wagner Homem e Luiz Roberto de Oliveira.

 

Para ouvir, e conhecer: O mestre Tom Jobim

Marcos Silva colunista aos sábados -  email: Marcosgeovano@hotmail.com

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade do autor.

Colunas anteriores também aqui: clique

 



Seja o primeiro a comentar sobre esta notícia:



Colunista do dia
Cel Costa Filho

Cel Costa Filho

Segurança em Debate


Vale a Pena Ler de Novo

Vale a Pena Ler de Novo

Vale a Pena Ler de Novo




Mais lidas
Câncer de Pâncreas é na maioria das vezes é diagnosticada de forma tardia

Câncer de Pâncreas é na maioria das vezes é diagnosticada de forma tardia

Por isso apenas 15 a 20% dos pacientes são candidatos à cirurgia com potencial de cura.


Vida de CHICO XAVIER em superprodução musical  “Um Cisco” estreia no Guairão

Vida de CHICO XAVIER em superprodução musical “Um Cisco” estreia no Guairão

A trama se desenvolve numa estação de trem, onde a vida do médium é narrada desde os seus 4 anos de idade até a sua morte, aos 92 anos.


Banda Nenhum de Nós traz rock a Curitiba em pocket show gratuito

Banda Nenhum de Nós traz rock a Curitiba em pocket show gratuito

Apresentação do grupo, que tem mais de 30 anos de carreira, acontece no dia 17 de outubro, no Shopping Curitiba


3 livros que você precisa ler

3 livros que você precisa ler

Destaque da Semana


Pinhais recebe projeto de cinema gratuito  ‘Cinemóvel Carrefour’

Pinhais recebe projeto de cinema gratuito ‘Cinemóvel Carrefour’

O ‘Cinemóvel Carrefour’ exibirá, gratuitamente, filmes com a temática da alimentação para alunos de escolas municipais


Uma nova onda, muito seca!

Uma nova onda, muito seca!

Por Jorge Marcondes




Mais notícias desta categoria


Voltar ao topo©Squarebits Software 2016. (Heroku)