Segunda, 09 de outubro de 2017, 00:00 h - Atualizado em 09/10, 00:00 h

Uma visão sobre o amor

Por Rafa Rofo

Autor: Rafa Rofo
O conteúdo desta matéria é de total responsabilidade do autor.
Foto: Rafa Rofo

Cada dia que passa parece que mais socos de verdade são golpeados contra o meu peito. Estou me sentindo algum tipo de viciado descobrindo que sua droga – até então razão do seu viver – estraga completamente sua vida, coloca lentes um tanto quanto obscuras no seu olho.

O sexo e a obrigação de fidelidade corrompem o amor. Um homem conhece uma mulher, se apaixona por ela, larga tudo pra viver com ela. Claro que amar é inspirador, mas e quando chega a hora em que algo começa a dar errado? E geralmente isso acontece na esfera sexual. Mas continuando a historinha.. Um dia este homem percebe que esta mulher esta ocupando espaço demais na vida dele, ou seja, está começando a ser mais importante que todo o resto de sua vida ou até mesmo mais importante que sua própria vida.

O medo da perda começa a comer lentamente seu cérebro. Logo adiante ele estará ruminando sobre o por quê de não fazerem mais sexo com tanta frequência, onde foi parar a alegria do início do relacionamento? Será que ela o trai? Será que a felicidade foi embora? Será que ele está exigindo muito dela – mas como se antes aquilo era o básico? Como é que a rotina foi acabar com tudo? Claro, o amor puro, se existiu, continua ali.., assim como em amizades verdadeiras. Como algo tão bonito se transforma num pedacinho do inferno? Digo de novo...não foi o amor, foi a parte sexual de tudo isso. Depois ele descobre uma traição e acaba com todo o relacionamento – acaba com as partes boas também. Há uma perda. E toda a idealização acaba.

O amor – completo como ele é – é uma prisão. A liberdade aconteceria se não houvesse o sentimento de posse e se mesmo amando conseguíssemos nos realizar sexualmente com todo o tipo de gente.

No final, o que temos de seguro na vida acaba sendo o trabalho. Bom, também as relações de amizade que nos parecem ser verdadeiras. Então... se estamos em crise de empregos e aqueles que não se encaixam em área nenhuma são os primeiros a serem demitidos..., se talvez as amizades não forem tão verdadeiras assim, na atualidade...como será que anda o ‘amor’?? 



Seja o primeiro a comentar sobre esta notícia:



Colunista do dia
Cristiano Machado

Cristiano Machado

A vida é bélica


Mhana Karim

Mhana Karim

Laricas da Mhana




Mais lidas
Espetáculo Cazuza "Daqui Até A Eternidade" em Curitiba

Espetáculo Cazuza "Daqui Até A Eternidade" em Curitiba

O show acontece no próximo dia 27 de setembro, quinta-feira no Teatro Guairinha. Ingressos já à venda.


São José dos Pinhais realiza em outubro a II Mostra Intermunicipal Mulheres na Ciência

São José dos Pinhais realiza em outubro a II Mostra Intermunicipal Mulheres na Ciência

Grande público participou da Mostra de 2017


 Paula Toller em "Como eu quero" em Curitiba

Paula Toller em "Como eu quero" em Curitiba

Um dos principais nomes do pop rock brasileiro dos anos 80, desembarca na cidade na sexta, dia 21 de setembro, com seu show no palco do Guairão


1º Best Buy em Curitiba

1º Best Buy em Curitiba

O evento promovido pela Garage Vinhos contará com uma harmonização completa de vinhos com empanadas e tábua de frios


COMPOSIÇÕES GEOMÉTRICAS DE ROSA ARCOSTA FERREIRA NA MOKITI OKADA

COMPOSIÇÕES GEOMÉTRICAS DE ROSA ARCOSTA FERREIRA NA MOKITI OKADA

Inaugurou na última quarta-feira dia 5 de Setembro a exposição Composições Geométricas da artista e grande incentivadora da arte Rosa Arcosta Ferreira.


Festival da Primavera reuniu mais de 400 alunos

Festival da Primavera reuniu mais de 400 alunos

O evento contou com a participação de mais de 400 alunos das oficinas de musicalização da Usina e prestigiaram as apresentações mais de 600 pessoas.




Mais notícias desta categoria


Voltar ao topo©Squarebits Software 2016. (Heroku)