Quarta, 06 de dezembro de 2017, 11:03 h - Atualizado em 06/12, 11:09 h

Valesul Chevrolet GM apresenta Tacy de Campos e Amanda Lyra em show único

Neste sábado (09/12) das 10h as 12h

Redação:Cultura
Autor: Redação
Foto: Divulgação.

A Valesul Chevrolet GM recebe neste sábado (09/12) das 10h as 12h o show nacional das cantoras Tacy de Campos e Amanda Lyra
Um dueto de vozes e violões que traz a essência das compositoras em um show sobre amizade, superação e autoaceitação. 
Venha conferir o primeiro show do projeto no Paraná na Valesul que fica na  Av das Torres 1.680, São Jose Dos Pinhais.

 

 

Sobre o projeto:

Sucesso nos palcos com Cássia Eller, O Musical, a curitibana Tacy de Campos se uniu a artista cadeirante Amanda Lyra para trazer um show em formato acústico onde as duas trazem as composições de seus respectivos discos “O Manifesto da Canção” e “Pro que der e vier”. 

Lançado com o patrocínio da Valesul Chevrolet em novembro na cidade de Bonito, no Mato Grosso do Sul, as compositoras deram início ao projeto que apresenta letras que falam de protesto, amor, superação e autoaceitação, o show mostra como a amizade pode superar as barreiras das limitações físicas e das amarras que rondam a vida das pessoas na sociedade atual. 

Um duo com violões e vozes poderosas que fogem dos padrões sopranos femininos, levantando a bandeira da igualdade de gênero, com intervenções poéticas entre as músicas em um show para se fazer pensar.

Em cada cidade onde o Projeto for levado, será realizado um show beneficente em uma escola especializada em DEFICIENTES, propagando o PROJETO SOLYRA, ativo desde maio de 2017 na cidade de Curitiba.

 

Conceito do Projeto SoLyra:

Levar a arte até as crianças e adultos com vários tipos de deficiência, da motora à intelectual, sendo Amanda portadora de atrofia espinhal tipo III e cadeirante, os alunos vêem nela uma inspiração e representatividade.  A ação tem despertado a sensação de mudar o mundo através da superação, da arte e do amor ao próximo.

“É muito difícil para algumas famílias levarem as crianças ou adultos que tem uma deficiência mais severa para curtirem shows e apresentações artísticas. Então toda semana levamos um artista diferente para se apresentar nas instituições que já são parceiras. É sem dúvida o maior presente da minha vida, o que eu quero fazer pra sempre. Vamos sempre lutar para que as limitações físicas e intelectuais não impeçam de sentirem o poder da música, do teatro, da arte”. – Amanda Lyra (trecho da entrevista para o jornal Folha da Mulher)

 

Sobre Tacy

Cantora e compositora, Tacy foi a intérprete de Cássia Eller no musical que rodou todas as capitais do Brasil, e teve diversas temporadas nas metrópoles Rio de Janeiro e São Paulo.  Já prestou varias homenagens à cantora em prêmios e festivais, como o Rock in Rio em 2015.

Participou da música de trabalho de Nando Reis em um especial para o Fantástico, além de ser convidadas para programas como Faustão, Encontro com Fátima Bernardes e Canal Bis.

 Lançou esse ano seu primeiro trabalho solo "O Manifesto da Canção" onde mostra a que veio com muita atitude, destacando toda sua singularidade e disparidade do suas composições.

Participou do projeto “Músicas para sempre”, voltado para pessoas diagnosticadas com Alzheimer. Faz parte da banda paulista Os Pitais, uma banda voluntária que toca em hospitais, escolas carentes e para refugiados,  formada por diversos artistas, como Kiko Zambianchi, Márcio Mello, Andreas Kisser do Sepultura, entre outros.

 

Sobre Amanda

Cantora e compositora, aos 27 anos já é uma veterana dos palcos curitibanos, tocando em bares desde os 16 anos. Abriu o show do projeto Ira! Folk, da banda Os Titãs e da cantora Luiza Possi, além de participar do Projeto Canta Curitiba(RPC TV – Globo Paraná) onde fizeram o encerramento do show do Toquinho no aniversário de Curitiba para milhares de pessoas.

Já realizou diversos shows autorais em Teatros da cidade e participou de inúmeros programas de tv e rádio. Foi convidada para abrir o clipe do Projeto Internacional Marcha das Mulheres pela paz que trará um show ao lado de Elba Ramalho, além de cantoras israelenses  e paranaenses junto com a Orquestra Sinfônica do Paraná.

 

Criou ao lado de Jordana Soletti, o Projeto SoLyra, iniciado em maio de 2017 que leva música  semanalmente a diversas escolas especializadas em deficientes. Mais de 50 artistas paranaenses integram o projeto comandado por Amanda, onde ela cuida de toda a parte de direcionamento dos músicos, agenda das escolas e programação das apresentações, assim como a parte de divulgação e ampliação do Projeto. Responsável pelo evento #MudandoOmundo, do Projeto Solyra em parceria com a Prefeitura de Curitiba em homenagem ao dia do Deficiente.

 



Seja o primeiro a comentar sobre esta notícia:



Colunista do dia
Aninha Pazinatto

Jorge Marcondes

Jorge Marcondes

Coluna Papo de Piá




Mais lidas
Enfim, as escolas nascentes?

Enfim, as escolas nascentes?

Mais um texto da série especial


Espetáculo "Em casa a gente conversa" traz Cássio Reis e Juliana Knust

Espetáculo "Em casa a gente conversa" traz Cássio Reis e Juliana Knust

Peça aborda problemas rotineiros do casamento em duas apresentações no Teatro Regina Vogue


II Mostra Intermunicipal Mulheres na Ciência: exposições estão abertas

II Mostra Intermunicipal Mulheres na Ciência: exposições estão abertas

É a segunda vez consecutiva que o município de São José dos Pinhais realiza um evento dessa proporção.


Roger Waters: O gênio criativo do Pink Floyd em Curitiba

Roger Waters: O gênio criativo do Pink Floyd em Curitiba

Combinando clássicos do Pink Floyd, algumas canções novas e trabalho solo, o astro britânico desembarca na cidade no próximo dia 27 de outu


Câncer de Pâncreas é na maioria das vezes é diagnosticada de forma tardia

Câncer de Pâncreas é na maioria das vezes é diagnosticada de forma tardia

Por isso apenas 15 a 20% dos pacientes são candidatos à cirurgia com potencial de cura.


Vida de CHICO XAVIER em superprodução musical  “Um Cisco” estreia no Guairão

Vida de CHICO XAVIER em superprodução musical “Um Cisco” estreia no Guairão

A trama se desenvolve numa estação de trem, onde a vida do médium é narrada desde os seus 4 anos de idade até a sua morte, aos 92 anos.




Mais notícias desta categoria


Voltar ao topo©Squarebits Software 2016. (Heroku)