A Mulher Balzaquiana

Foto: Divulgação

O livro tem como protagonista a mulher de trinta anos madura experiente, independente bela e com aparência jovem, o sucesso e o impacto da obra fizeram com que fosse adotado o termo “Mulher Balzaquiana” para as mulheres que atingem os 30 anos (COMPANHIA DAS LETRAS).

Mas nos dias atuais quem é a mulher balzaquiana?

É a mulher guerreira, decidida, desprendida, afetuosa, sedutora, recatada, amorosa, vencedora, desiludida, vaidosa, madura, menina, gorda, magra, alta, baixa, loira, morena, mãe, esposa, profissional e etc.?

Todas são “BALZAQUIANAS”, não importa a idade, vivemos, sonhamos, caímos, levantamos, choramos, rimos, vencemos, perdemos, amamos, nos desiludimos, somos mãe, filha, amiga, esposa, profissionais, o que a vida nos exigir, seremos.

A mulher “BALZAQUIANA” é a mulher que gosta de ser mulher, que não lamenta a sua existência, que enfrenta o mundo mesmo estando se sentindo derrotada.

Ser mulher nos dias atuais é saber que a vida é um mar vasto e cheio de tubarões, mas também cheio de golfinhos, um dia o mar está revolto, mas no outro está sereno e calmo.

Não temos medo de navegar em águas turvas, pois são nessas águas que aprendemos que a vida é cheia de percalços, o mar tranquilo apenas acalma, não ensina que o mundo é uma mistura de tumultos e calmaria.

Uma “BALZAQUIANA” é um ser impulsivo e controlado, sabe o que quer e escolhe viver intensamente as paixões da vida, mas quando ama, se entrega de corpo e alma, busca o sucesso, mas não deixa de lado a beleza de ser mulher.

Acordar, levantar, enfrentar o mundo, cair, levantar, se apaixonar, amar, chorar, sorrir e novamente tudo isso todos os dias, isso é ser “BALZAQUIANA”.

A expressão “BALZAQUIANA” deve ser usada para todas as mulheres, não importa a idade, não importa se ela tem mais ou menos experiência, o que importa é ser feliz, lutar pelo que ela acredita. Em cada fase da vida aprendemos coisas novas, deixamos algumas opiniões para trás, desenvolvemos outras, mas cada momento vivido foi importante, as mulheres de 50 não teriam a experiência que tem se não tivessem passado pelos erros e acertos dos 20 ou dos 30 anos.

 

**

Sabrina Matos

Sabrina MatosSabrina Matos é Pedagoga, Educadora Sexual, SexCoach, Analista Ambiental, Economista e atualmente cursa Especialização em Sexologia, (nome completo Sabrina Lopes de Matos Vinotti). Em 2002, aos 22 anos de idade, por curiosidade e para beneficio pessoal, fez seus 1º cursos sobre sexualidade, introdução à massagem tailandesa e Strip-Tease. Sempre buscou cuidar de sua sexualidade e da saúde de seu casamento (21 anos de relacionamento). Decidiu atuar na educação em 2012, onde descobriu o seu amor pela educação sexual. Deixou de atuar como Economista e se dedicou exclusivamente a docência, no decorrer de sua trajetória profissional escolheu definitivamente que iria atuar com o desenvolvimento da sexualidade humana. Atualmente atende com hora marcada em seu “Espaço Amiga” (Home Office), faz atendimento online, da palestras, ministra workshop’s e disponibiliza em seu canal do youtube, vídeos educativos sobre temas ligados a sexualidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui