Alerta: Síndrome do Pânico na quarentena do Covid-19

Pânico
Foto: Divulgação

Por: Dra Dionice Mayumi Uehara Cardoso

Devido ao Coronavírus Covid -19, fomos obrigados a ficar em isolamento social, confinados cada um na sua casa, sem contato com o mundo, exceto via redes de comunicação em geral.
“Isso é um dos grandes fatores responsáveis por desencadear, gerar ou agravar a ansiedade, consequência de um estresse aguçado, que resulta numa intensificação dos Sintomas.”
Importante dizer que a ansiedade é uma reação natural do nosso organismo, é fisiológico e de suma importância a nossa sobrevivência. Quando estimulamos o seu mau uso, ou melhor, quando o organismo libera inadequadamente, passa a ser nocivo e prejudicial à saúde.

Nessa pandemia do Covid – 19 é fundamental aprender a lidar com o alto nível de estresse. Devemos ficar em alerta, porque o estresse é silencioso, porém ele é extremamente prejudicial à saúde humana, causando graves danos a saúde mental. Os transtornos psiquiátricos e doenças como Depressão e Síndrome do Pânico, são desencadeados, também, nesse momento de isolamento e muito estresse.

Os sintomas iniciam com uma súbita exuberância de ansiedade e medo oprimido, ocasionando um ataque de pânico. Segundo a psicóloga clínica e doutora em psicologia Patrícia Demoly, afirma que o ataque de pânicos é induzido por consecutivas crises aguda de ansiedade, e a sensação de perigo, por um medo iminente de morte, muito medo associado ao desespero, pensamentos repetitivos catastróficos e a incapacidade de livrar-se deles! Podendo ser uma ocorrência única ou em diversos casos são reincidentes.
Uma pessoa perfeitamente saudável, feliz e num momento qualquer, pode passar por essa experiência desagradável, onde sintomas físicos e emocionais são aterrorizantes!!!

Através do isolamento social devido ao Coronavírus, em geral, ocorre a ênfase da ansiedade aguda, que gera a Síndrome do Pânico; com isso, a pessoa passa por uma Desrealização, tem a nítida sensação de distorção na visão de Mundo, de si mesmo, de que vai perder o controle de si mesmo, de que vai morrer e que vai enlouquecer. As pessoas descobrem a falta de controle que pensaram ter sobre as coisas e sobre a sua vida.

O sentimento de impotência é o principal responsável pela piora dos sintomas!
A boa notícia disso tudo é que através de medidas simples é possível reverter o quadro e viver com mais serenidade esse momento de pandemia do Covid – 19. Atitudes simples podem atenuar os efeitos do isolamento e a ameaça do surgimento de doenças.

É indicado todas as atividades que não estimulem a ansiedade, como por exemplo, ler livros, lidar com plantas, atividades manuais, escrever, pintar, assistir filmes ou séries, etc. importante criar uma rotina em casa e fazer exercícios.
Uma ótima técnica para baixar a ansiedade é a técnica da respiração, simples e fácil de realizar para se acalmar. Essa técnica condiz de puxar o ar pelo nariz, utilizando a musculatura do abdômen, levando o ar até o diafragma (abdômen) “inflar”, segurar o ar por 3 segundos e então expirar pela boca, ir soltando bem devagar o ar pela boca. Repetir esse procedimento de 8 a 10 vezes.

Se todas as dicas anteriormente citadas não forem suficientes para baixar a sua ansiedade, é indicado que busque a ajuda de profissionais, como um psicólogo ou até mesmo um psiquiatra para ministrar o uso de medicação. Um profissional especializado te ajudará, com certeza, a enfrentar esse momento angustiante, com mais segurança e de maneira saudável.

É fato que experiências catastróficas sempre deixam sequelas e traumas.
O importante é que as pessoas percebam que dominam a sua vida e o seu tempo, que estão fazendo escolhas: ficar em casa em isolamento social e se cuidar para que tenha saúde e não venha a morrer; ou desrespeitar o isolamento social, sair de casa e correr o risco de adquirir o Covid – 19 e de uma possível morte.

A escolha é sua! A vida é só sua! Faça a sua parte!
Seja feliz! VIVA COM QUALIDADE!

Dionice Mayumi Uehara Cardoso é Psicóloga, colaboradora do Portal VRNews.
– CRP 08/08270

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui