Autismo: Palestra na Câmara Municipal foca na interação entre medicina e escola

Foto Divulgação Câmara SJP

O médico neurologista Thiago Simões palestrou na noite de terça-feira (2) na Câmara Municipal de São José dos Pinhais sobre o tema “O impacto educacional no público autista – uma visão médico neurológica”.

A palestra foi promovida pela Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência e Direitos Humanos em referência à ‘Semana Municipal da Conscientização do Transtorno do Espectro Autista’, que ocorre anualmente na primeira semana de abril, conforme a lei municipal 2799/2017. Além disso, 2 de abril marca o Dia Mundial de Conscientização do Autismo.

Presidente da Comissão, o vereador Sílvio Santo (Rep) lembrou a importância de que o tema do espectro autista seja um assunto discutido durante todo o ano, e que a Comissão tem trabalhado neste sentido. Além dele, estiveram presentes o presidente da Casa, o vereador Allax Siqueira (MDB), o vice-presidente e vereador Samuel Pinheiro (Podemos), o vereador Delegado Michel (Podemos) e o vereador Sinésio (Podemos).

Especialista

O neurologista palestrante falou sobre a importância dos educadores na percepção de crianças que poderiam vir a ter um diagnóstico de espectro autista. Segundo Simões, na escola começam a aparecer as inadequações quando as habilidades de convívio social são exigidas. “Os educadores é quem estão no dia a dia com as crianças e podem observar e nos trazer estes sinais, que não devem ser ignorados”, pontuou.

O médico também destacou o diagnóstico em adultos, área na qual é pioneiro, segundo Simões, ele já fez diagnóstico em pessoas de até de 50 anos de idade. “Me perguntam se ‘adianta’, é claro que o diagnóstico não resolve tudo, mas não há nada pior do que a incerteza, ter o diagnóstico, ainda que mais tarde, ajuda inclusive a fazer as pazes com o passado”, defendeu o neurologista “ajuda a perceber que determinadas situações difíceis ao longo da vida não foram culpa sua”, complementou.

Thiago Simões ainda respondeu a dúvidas da plateia, sobretudo de pais e educadores preocupados em bem atender os autistas.

A palestra contou com a presença de entidades da sociedade civil organizada; pais e avós de autistas; e educadores em geral.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui