Desperte o Sagrado Feminino que há dentro de você

Foto: Patrine Alves - Paluart
“A mulher, na Antiguidade, exercia um papel sagrado na sociedade pela sua capacidade cíclica, de reprodução e de criar a vida do próprio corpo. Resgatar esse papel é um trabalho de autoconhecimento essencial para a mulher.”
Olá. É com imensa alegria que estreio hoje a “Coluna Mística”. Dedicarei este espaço para trazer o saber do Sagrado Feminino, tema que ganha cada vez mais espaço entre as mulheres contemporâneas, independente de classe social, raça, crenças ou experiências vividas.

O Sagrado Feminino é um conceito milenar que representa a conexão da mulher com a natureza e busca honrar a energia feminina, suas ancestrais e a irmandade entre as mulheres, bem como reconhecer os ciclos femininos e lunares e despertar a feminilidade e sexualidade sagrada.

Foto: Patrine Alves – Paluart
LUA: CHEIA AROMAS DA LUNAÇÃO: FLORAIS MENSAGEM DA SEMANA: Não é sábia toda atitude bondosa que coloques em prática, assim como nem toda ação sábia terá aparência bondosa.
O conhecimento

Através desse saber, a mulher desperta e entende o poder do feminino e sua força criativa. A consequência é que você liga o interruptor da sua intuição para você buscar sempre o melhor caminho, abrir portais, fechar ciclos, criar novos inícios.

Olhar com amor ao Sagrado Feminino é trazer à tona sua força e confiança em si. Quando nos dedicamos a olhar para nós mesmas e nos desligamos do mundo que nos cerca por alguns instantes, é possível ter uma melhor percepção da natureza do feminino.

 

Ritos de passagem

Mas para entender melhor todo esse papo, primeiro é importante aceitar que o Sagrado habita em todas as mulheres e é marcado pelas fases da vida e seus ritos de passagem.

Os ritos reforçam a semelhança da mulher com a mãe natureza e seus ciclos e são cruciais na construção de nossa deusa interior, que passa por três fases: Jovem ou Donzela, Mulher ou Mãe, Sábia ou Anciã.

Essas são as faces da Deusa Tríplice, a deusa que construímos no decorrer de nossa vida.

 

Vivências

As vivências do Sagrado Feminino são os encontros chamados “círculos de mulheres”. Esses rituais abrem portas para a criatividade, para o lúdico, e principalmente para a intenção do encontro com que é sagrado, com o que é divino. O ritual pode ser a linha condutora de uma experiência pra dentro de si que pode revelar preciosidades adormecidas no seu ser.

Existem encontros e caminhos diferentes, mas os temas sempre presentes contemplam a conexão entre medicina e ginecologia natural, forças da natureza, plantas, céu, clima.

Também há momentos para danças, o estudo e culto das deusas e arquétipos, debate sobre os ciclo menstrual e fases da lua, gestação, e a influência da natureza na vida de cada uma.

O conhecimento do Sagrado Feminino pode ser aplicado no dia a dia, em tudo que fazemos, mas se dá, especialmente, quando reservarmos um tempo para nós mesmas dentro de nossa rotina de vida e lançamos o permanente olhar de amorosidade para nós.

Despertar o Sagrado Feminino é se conectar e honrar o feminino, a linhagem feminina ancestral, reconhecer as mulheres que a precederam fazendo as pazes e abrindo caminhos para que cada uma de nós possa simplesmente ser.

Na próxima coluna eu trarei a Ancestralidade para começarmos a entender onde está o x de muitas questões. Até lá.

**

Tânia Jeferson
Mistica

Tânia Jeferson

Tânia Jeferson é jornalista profissional, curiosa sobre os enigmas do universo desde sempre, conectada com a natureza, interessada em cristais, elementais e principalmente na evolução do ser. Estuda o Sagrado Feminino, participa do Círculo de Aine e ministra oficinas e palestras sobre o universo do tema. Acompanhe no Instagram: @heyamistica

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui