10.7 C
São José dos Pinhais
sexta-feira, 18 junho 2021
Início Notícias Prefeitos da RMC debatem planejamento para volta às aulas; modelo on-line continua

Prefeitos da RMC debatem planejamento para volta às aulas; modelo on-line continua

Foto: Ricardo Marajó/SMCS

A reunião fez parte do Fórum Metropolitano de Combate à Covid

Fonte: Smcs

Prefeitos e secretários municipais da Região Metropolitana de Curitiba reuniram-se, na tarde desta segunda-feira (25/1), por videoconferência, para debater, entre outros assuntos, a volta às aulas nas cidades que compõem a Grande Curitiba. A reunião fez parte do Fórum Metropolitano de Combate à Covid e foi conduzida pelo prefeito de Almirante Tamandaré e presidente do Consórcio Metropolitano de Saúde do Paraná (Comesp), Gerson Colodel.

O vice-prefeito de Curitiba Eduardo Pimentel, que está à frente das ações integradas desenvolvidas para a Região Metropolitana por determinação do prefeito Rafael Greca, presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec), representou Curitiba e relatou como tem sido feita a vacinação contra a covid, iniciada dia 20 de janeiro, na capital.

Foto: Ricardo Marajó/SMCS

“Agradecemos ao Governo do Estado por todo o apoio que Curitiba tem recebido. Já vacinamos pouco mais de 4 mil profissionais de saúde. E quando iniciarmos a vacinação dos idosos, teremos a vacinação descentralizada nas dez Regionais de Curitiba”, disse Pimentel.

Volta às aulas

A diretora de Planejamento e Gestão Escolar da Secretária Estadual da Educação e do Esporte, Adriana Kampa, informou aos prefeitos e secretários municipais que caberá ao Conselho Estadual da Educação a deliberação relativa ao decreto estadual 6.637 que autorizou a retomada das aulas presenciais nas escolas estaduais públicas e privadas, entidades conveniadas e universidades públicas.

“A ideia é dar esta possibilidade aos que podem estar presentes, respeitando todas as normas e de acordo com o interesse dos pais dos alunos e conforme a necessidade de transporte de cada família. Daremos continuidade ao modelo on-line”, declarou a diretora do Governo do Estado.

A secretária da Educação de Curitiba, Maria Sílvia Bacila, que integra a diretoria executiva da União dos Dirigentes Municipais de Educação do Estado do Paraná (Undime), destacou a importância do trabalho que vem sendo feito pelos municípios da Região Metropolitana.

“Temos trabalhado de mãos dadas na lógica de enfrentamento ao coronavírus para que possamos encontrar soluções conjuntas. Ainda que o nível de complexidade da gestão da educação em Curitiba seja maior, buscamos o melhor possível para todos”, disse ela. Maria Sílvia destacou que 18 de fevereiro será o início do ano letivo na capital.

O Protocolo de Retorno das Atividades Presenciais elaborado pela Secretaria da Educação de Curitiba, que determina as diretrizes para o atendimento em todas as unidades municipais de Curitiba, está sendo transformado num material de linguagem simples para responder as principais dúvidas das famílias.

“Os pais poderão escolher se optam pelo atendimento presencial, remoto ou híbrido. As famílias podem mudar de ideia após algum tempo”, exemplificou, ao mencionar algumas das principais dúvidas.

Ela citou ainda que o protocolo, que pode ser utilizado como referência por outras cidades, traz aspectos como ocupação dos ambientes, uso dos espaços, comunicação visual, totens de álcool, uso de máscaras pelas crianças acima de 2 anos de idade. Todas as questões serão trabalhadas pelos diretores das unidades educacionais de Curitiba com a comunidade, a partir da semana que vem, quando eles voltam do período de férias.

Tanto a secretária de Educação de Pinhais, Andrea Franceschini, quanto a de Educação e Esporte de Almirante Tamandaré, Dorotéa Stoco, falaram da importância da integração entre os municípios. “Estes encontros têm sido muito produtivos”, declarou Andrea Franceschini, que destacou ainda o protocolo de biossegurança que Pinhais tem.

Segundo ela, começa nesta semana a pesquisa com os pais do município para saber quantas são as famílias interessadas no retorno às atividades presenciais ou híbridas. Lá, os centros municipais de educação infantil passarão a atender em meio período. “As primeiras semanas serão dedicadas ao acolhimento das crianças e aos ensinamentos sobre como cada um deve se cuidar devido à covid”, declarou.

Em Almirante Tamandaré, segundo a secretária, a preocupação será proteger as crianças e os profissionais. Ela apontou como um dos principais desafios o transporte escolar. “Vamos retornar com cautela e responsabilidade, de acordo com os nossos comitês. Precisamos garantir o direito à educação”, afirmou Dorotéa.

Vacinação gradativa

O diretor de Gestão em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde, Vinícius Filipak, e o diretor da 2ª regional de Saúde, que compreende os 29 municípios das Grande Curitiba, José Dalmi Dissenha, apresentaram aos prefeitos e secretários os indicadores do Estado e da Região Metropolitana de Curitiba relativos à pandemia. “A vacinação será um processo gradativo, vamos seguir o Plano Estadual de Vacinação e trabalhar de forma clara e transparente”, enfatizou Dissenha.

Também participaram da reunião o secretário municipal para o Desenvolvimento da Região Metropolitana, Leverci Silveira Filho, e a assessora especial do gabinete do prefeito Rafael Greca, Cibele Fernandes Dias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui