Bati o carro. E agora o que faço?

Foto: Divulgação
O nosso trânsito está a cada dia que passa mais caótico e complicado, e quando menos esperamos estamos num congestionamento, e a ao passar pelo local onde ocorreu o acidente, vemos que foi um simples esbarrão e não acontceu praticamente nada, além de pequenos danos ou as vezes nenhum dano.Um hábito que as pessoas infelizmente têm é ao presenciar um acidente, praticamentre param o veículo na via para ver o que aconteceu, e não é raro que nas proximidades do acidente venham a ocorrer outros, pois os motoristas deixam de olhar o veículo à frente e ficam olhando para os lados e se o motorista da frente também estiver distraidpo a probabilidade de um acidenbte é enorme.Muitas pessoas ainda tem a idéia errada de que para qualquer acidente é necessário chamar o Plantão de Acidentes, do Batalhão de Trânsito e que se eles não fizerem o Boletim de Acidente de Trânsito, o seguro não irá pagar ou não terão como entrar na justiça para cobrar o prejuízo.Mas estão errados, pois só é necessário a presença dos policiais do trânsito se houver vitimas decorrentes do acidente, ou se for um veículo oficial que esteja envolvido.

Se houver vitimas, a primeira providência é acionar o SIATE para socorrer as vitímas e em seguida o plantão de acidentes para fazer o Boletim de Acidentes através do telefone 190.

Se não houver vitimas, tire fotos dos veículos envolvidos (todos os celulares tem câmeras) e anote os dados do veículo, do outro motorista e se possível os dados de algumas testemunhas.

Em seguida retire o veículo do local e desobstrua o fluxo e não atrapalhe a vida das outras pessoas, pois inclusive cabe uma notificação para quem for flagrado obstruindo a via.

Assim que tiver um tempo vá até o Batalhão de Trânsito e faça o Boletim de Acidente e terá, aí sim os dados necessários para acionar o seguro ou entrar com uma ação na justiça contra o causador da acidente.

No Paraná o boletim pode ser feito pela internet através do endereço www.bateu.pr.gov.br

Por isso nunca esqueçam, prevenir é sempre o melhor remédio. Para consultas ou sugestões de pauta envie seu e-mail para [email protected]

**

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui